Segundo a Polícia Militar, um ônibus e um carro foram queimados, em Florianópolis, e um veículo Penha

Agência Brasil

Dois carros e um ônibus foram incendiados entre ontem (21) e hoje (22), em Santa Catarina. Com isso, subiu para 113 o número de ataques ocorridos no estado desde o final de setembro, quando teve início a onda de crimes relacionados a facções criminosas que atuam nos presídios catarinenses. Os atentados aconteceram após uma trégua que já durava uma semana.

Santa Catarina registra novos ataques a ônibus e bases da PM

Leia também: Base da Polícia Militar é atacada e ônibus são incendiados em SC

De acordo com a Polícia Militar (PM), um ônibus e um carro foram queimados, em Florianópolis, e um veículo foi incendiado no município de Penha. Os órgãos de segurança do estado investigam se a ordem para os ataques partiu de dentro dos presídios ou se foram resposta às ações policiais.

“Fizemos uma apreensão grande de drogas no bairro [onde foram queimados um ônibus e um carro]. Desde ontem a PM intensificou as operações no local e também está permanentemente fazendo rondas. Acreditamos que possa ser uma resposta. Está sendo apurado se foi uma reação dos bandidos locais ou [uma ação] da organização criminosa [que atua nos presídios]”, explicou a coronel Claudete Lehmkuhl, chefe da Comunicação Social da PM e porta-voz do Comando Geral.

Segundo ela, apesar da “trégua” da semana passada, toda estrutura de segurança pública permanece de prontidão desde o final de setembro. “Temos feitos barreiras e prisões estão acontecendo, como a de ontem, no município de Lages”, disse a coronel.

Mais: Posto da Polícia Militar é alvo de ataque em Santa Catarina

Ontem (21), em ação conjunta da PM e da Polícia Civil, sete suspeitos de participação nos ataques foram presos e dois menores apreendidos. Uma pessoa foi presa por contrabando de cigarros. Ao todo, já foram contabilizadas 73 prisões e 23 menores foram apreendidos por suspeita de envolvimentos na onda de crimes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.