Embarcação Sonho do Pantanal naufragou no Rio Paraguai na quarta-feira; Marinha brasileira ainda insiste nos resgates

Agência Brasil

Foi encerrado o trabalho de mergulhadores brasileiros que buscavam desaparecidos no barco Sonho do Pantanal, que naufragou no Rio Paraguai, na fronteira com o Brasil, na quarta-feira (24). Segundo o Corpo de Bombeiros de Porto Murtinho (MS), a embarcação se moveu nos últimos dias e virou, o que a levou a águas mais profundas, jogou seu casco para cima e dificultou as buscas. Uma estratégia para o resgate da embarcação ainda está sendo estudada.

Embarcação que afundou no Rio Paraguai se moveu e agora está em águas mais profundas
Marinha do Brasil/Divulgação
Embarcação que afundou no Rio Paraguai se moveu e agora está em águas mais profundas

De acordo com a explicação, a situação atual dificulta o trabalho dos 14 mergulhadores do Corpo de Bombeiros que estavam atuando na região. As buscas continuam sendo feitas por meio das embarcações que foram cedidas pela Marinha. “Tornou-se um perigo para o mergulhador, por isso os mergulhos foram cancelados”, explicou o soldado Câmara. Ele acrescentou que mergulhadores paraguaios continuam em atividade.

Leia mais:
Mais cinco corpos de vítimas de naufrágio são encontrados no Rio Paraguai

Veja grandes naufrágios da história:

O Corpo de Bombeiros informou que, até agora, 11 corpos foram resgatados. Dois brasileiros e um paraguaio continuam desaparecidos. A embarcação afundou por volta das 17h30 (18h30 no horário de Brasília) de quarta-feira (24), a 444 quilômetros a oeste de Campo Grande. De acordo com os bombeiros, 16 turistas brasileiros e dez tripulantes paraguaios estavam no barco.

Segundo a corporação, o acidente ocorreu durante uma tempestade com ventos de até 93 quilômetros por hora.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.