Mentor de estupro coletivo é condenado a 106 anos de prisão na Paraíba

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Além de Eduardo dos Santos Pereira, outros seis homens e três adolescentes foram condenados pelo crime, que resultou no assassinato de duas mulheres no mês de fevereiro de 2012

Apontado como mentor e principal participante de um caso de estupro coletivo ocorrido em 12 de fevereiro de 2012, na cidade de Queimadas (PB), Eduardo dos Santos Pereira foi condenado a 106 anos e 4 meses de prisão, em decisão anunciada pelo juiz Antônio Maroja Limeira Filho no 1º Tribunal do Júri de João Pessoa, nesta sexta-feira (26).

TV Paraíba/Reprodução
Eduardo Pereira ouve condenação do juiz após 19 horas de julgamento em João Pessoa

O crime, que chocou a pequena cidade de cerca de 40 mil habitantes no Agreste paraíbano, resultou na morte da professora Isabela Pajuçara Frazão Monteiro, 27 anos, e da recepcionista Michelle Domingues da Silva, 29. Elas foram assassinadas após reconhecerem os autores do estupro, classificado pelo júri popular como "clamoroso" e que ganhou repercussão nacional devido à sua violência.

Eduardo foi condenado pelos crimes de estupro, cárcere privado, lesão corporal, formação de quadrilha, posse ilegal de arma e duplo homicídio triplamente qualificado. Sete testemunhas de acusação e uma de defesa foram ouvidas no julgamento, iniciado na tarde de quinta (25).

Além de Eduardo, foram condenados outros seis homens, todos por cárcere privado, formação de quadrilha e estupro: Luciano dos Santos Pereira, Fernando de França Silva Júnior, Jacó Sousa, Luan Barbosa Cassimiro, José Jardel Sousa Araújo e Diego Rêgo Domingues. Eles cumprirão penas de entre 26 e 44 anos de prisão em regime fechado no Presídio de Segurança Máxima PB1, na capital paraibana.

Três adolescentes também foram condenados e cumprirão suas penas no Lar do Garoto, por meio das chamadas "medidas socioeducativas", aplicadas a menores de idade.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas