A detenta declarou por escrito que não possuía interesse pelo semiaberto por temer por sua vida fora do cárcere

Suzane Von Richtofen durante entrevista ao Fantástico que levou o MP a pedir sua volta à prisão, em 2006
TV Globo/Reprodução
Suzane Von Richtofen durante entrevista ao Fantástico que levou o MP a pedir sua volta à prisão, em 2006

A 1ª Vara de Execuções Criminais de Taubaté, no interior de São Paulo, revogou a progressão de regime semiaberto a Suzane Louise Von Richthofen, condenada pelo assassinato dos pais em 2002.

Richtofen recusa transferência ao semiaberto

Segundo a Justiça, Suzane declarou por escrito que não possuía interesse pelo semiaberto por temer por sua vida fora do cárcere. De acordo com Suzane, a vontade não teria sido acatada por seu advogado. Após o desentendimento, ela destituiu seus procuradores.

Leia mais:
Suzane Von Richtofen ganha direito de cumprir pena em regime semiaberto
MP entra com recurso para impedir semiaberto a Suzane Von Richtofen
Advogado de Suzane Von Richtofen critica MP e diz que "crime é passado"

“Anoto que a Lei de Execução Penal prevê a progressão como um direito e não uma obrigação. Logo, se não há interesse, não há como impor o benefício à sentenciada”, anotou a juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, que ainda determinou a desconstituição dos advogados de Suzane. 

Suzane von Richtofen passará a ser representada pela Defensoria Pública.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.