O ex-médico, condenado por estupro, estava foragido desde 2010. Ele liderava a lista de procurados de São Paulo

O ex-médico Roger Abdelmassih, de 70 anos, foi preso no início da tarde desta terça-feira (19), na cidade de Assunção, no Paraguai. Abdelmassih foi levado a Foz do Iguaçu e deve chegar no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, ainda na tarde desta quarta-feira (20).

Segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, Roger Abdelmassih será encaminhado primeiramente ao Instituto Médico Legal (IML) para fazer um exame de corpo de delito e, em seguida, será transferido para o presídio Doutor José Augusto Salgado, Tremembé 2, no interior de São Paulo. O prisão Tremembé 2 é conhecida como a cadeia das "estrelas" por abrigar condenados em casos de grande repercussão, como autores de estupros e casos de pedofilia.

Roger Abdelmassih é preso no Paraguai

"Pulei de alegria quando soube da prisão", diz vítima de Abdelmassih

MP investiga esquema de lavagem de dinheiro usado por Roger Abdelmassih

Estão ou já passaram por lá: Cristian e Daniel Cravinhos, Suzane von Richthofen, Alexandre Nardoni, Anna Carolina Jatobá, Lindemberg Alves Fernandes e Marcos Valério. O próprio Abdelmassih já ficou detido no local.

O Adelmassih estava foragido desde 2010 quando foi condenado pela Justiça a 278 anos de prisão e teve o registro cassado pelo Conselho Regional de Medicina (CRM) de São Paulo por 52 estupros e atentados violentos ao pudor contra suas pacientes.

No entanto, o ex-médico continuou em liberdade, na época, por ter obtido habeas corpusconcedido pelo então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. O benefício foi cassado pelo próprio STF, em fevereiro de 2011. Desde então, Abdelmassih estava foragido.

O paradeiro de Abdelmassih foi descoberto, após investigações feitas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaedo) - Núcleo Bauru, do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP).

Segundo o MP-SP, as pistas surgiram durante a apuração de novos crimes praticados pelo ex-médico e por terceiros, tais como favorecimento pessoal, falsidade ideológica e falsidade material, em cidades do interior paulista, entre elas, a de Avaré. Durante buscas em uma propriedade rural, foram encontrados indícios de que ele estaria no país vizinho. As informações foram então compartilhadas com a PF.

* Com Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.