"Corre senão eu te mato", disse suposto serial killer para amiga de vítima

Por Beatriz Atihe - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Jovem de 13 anos levou tiro nas costas enquanto conversava com sua amiga em uma praça no dia 16 de junho em Goiânia

Taynara Rodrigues da Cruz, 13 anos, foi uma das 15 jovens mortas por motociclistas em Goiânia desde janeiro deste ano. Segundo o irmão da vítima, Marcos Paulo Rodrigues Barbosa, 27 anos, a amiga de sua irmã teve que sair correndo pois foi ameaçada pelo suposto serial killer. "A amiga da Taynara disse que o motoqueiro mandou ela correr, senão ela também seria morta".

Isadora Cândida, 15 anos, morreu no dia 1 de junho, enquanto caminhava em direção a sua casa com o namorado. Foto: Reprodução/FacebookTaynara Rodrigues da Cruz, 13 anos, e o seu irmão, Marcos Paulo Rodrigues Barbosa, 27 anos. Foto: Arquivo pessoalFamiliares da Taynara foram a manifestação contra os assassinatos que aconteceu no último sábado (9). Foto: Arquivo pessoalTaynara Rodrigues da Cruz, 13 anos, foi morta no dia 16 de junho, enquanto conversava com uma amiga em um praça perto de onde morava. Foto: Arquivo pessoalAna Maria Duarte(esquerda) foi morta no dia 14 de março.. Foto: Reprodução/FacebookAna Maria Duarte, 26 anos, foi morta no dia 14 de março, quando saía de uma lanchonete com o namorado e uma amiga. Foto: Reprodução/FacebookFamília de Ana Maria Duarte, 26 anos, oferece R$ 10 mil por pistas que ajudem a achar o suspeito. Foto: Reprodução/FacebookBárbara Luiza Ribeiro Costa, 14 anos, foi morta no dia 18 de janeiro. Foto: Reprodução/FacebookWanessa Oliveira Felipe, 22 anos, foi assassinada no dia 23 de abril. Foto: Reprodução/FacebookJanaína Nicácio de Souza, 25 anos, foi morta no dia 8 de maio. Foto: Reprodução/FacebookJuliana Neubia Dias, 22 anos, morreu no dia 26 de julho, quando saía de um restaurante com o namorado e uma amiga. Foto: Reprodução/FacebookAna Lídia Gomes, 14 anos, foi morta no dia 2 de agosto, em um ponto de ônibus. Foto: Reprodução

A jovem foi assassinada no dia 16 de junho enquanto conversava com uma amiga na praça da Bandeira, no bairro Goiá, onde morava com sua família."Ela levou um tiro nas costas, as pessoas que estavam por perto tentaram socorrer, mas ela teve hemorragia interna e morreu no local do crime", conta Barbosa.

Polícia de Goiânia faz megaoperação para tentar resolver série de crimes

Vídeo mostra motociclista suspeito de matar menina em Goiânia

Família de mulher morta em Goiânia oferece R$ 10 mil por pistas

Barbosa conta que a amiga de Taynara só relatou que o suspeito estava em uma moto preta e vermelha e que ao atirar, fugiu sem levar nenhum pertence da menina. Sobre as investigações, Barbosa acredita que a força-tarefa foi criada muito tarde. "Eles demoraram para começar a investigar, enquanto isso mais meninas foram mortas. As famílias não tiveram acesso a muitas informações".

Sem ter conhecimento sobre qualquer envolvimento com drogas ou namorado, a família lamenta a morte da Taynara. "Ela estava entrando numa nova fase, era uma adolescente cheia de sonhos, é difícil entender o motivo que levaria alguém a cometer um crime desses", lamenta Barbosa. 

Os familiares participaram da manifestação realizada na cidade no último sábado (9) contra os assassinatos das jovens e reforçaram que estarão presentes em um novo ato marcado para o próximo dia 30. "Foi um protesto muito bonito, mas infelizmente a população não aderiu como esperávamos, a maioria dos participantes tinha alguma relação com alguma das vítimas", finalizou Barbosa.

Leia tudo sobre: goiâniavítimasmulheresjovensserial killer

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas