Reconhecimento de terreno com área equivalente a 7,5 mil campos de futebol foi publicado no Diário Oficial da União

Agência Brasil

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) publicou, nesta sexta-feira (11), no Diário Oficial da União, portaria em que reconhece uma área de quase 7,5 mil hectares no Maranhão como território remanescente de comunidades quilombolas. A área equivale a 7,5 mil campos de futebol.

Saiba mais:
Educação: o que é quilombo e quilombola?

A área fica em Itapecuru Mirim, no norte maranhense, a cerca de 96 quilômetros de São Luís, e abriga a comunidade quilombola Santa Rosa dos Pretos, também conhecida como Santa Rosa do Barão. O local está entre outros dois territórios quilombolas, Monge Belo e Filipa, e é atravessado pelas estradas de ferro Carajás e São Luís-Teresina, além da BR-135.

Conforme determina a lei, dos 7.496 hectares, 180 serão destinados às faixas de domínio das estradas de ferro, da rodovia federal e das redes de alta-tensão já instaladas na área. Assim, os quilombolas terão o direito de uso e, logo, à posse de 7.316 mil hectares.

Leia também:
Número de escolas quilombolas cresce no Brasil
Comunidade quilombola disputa região com Marinha na Bahia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.