Homem mata dois filhos e duas enteadas na zona leste de São Paulo

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Foi o próprio suspeito quem telefonou à PM para falar sobre os assassinatos; ele tentou suicídio, mas foi encontrado com vida

Edu Silva/Futura Press
Homem mata dois filhos e duas enteadas na zona leste de São Paulo

Um homem de cerca de 35 anos matou a facadas dois filhos e dois enteados em sua casa no Jardim Aricanduva, na zona leste de São Paulo. De acordo com a Polícia Militar do Estado, ele ainda tentou se matar, mas foi encontrado ainda com vida no banheiro da residência e levado à pressas ao Hospital Sapobemba.

As crianças assassinadas foram identificadas como duas meninas, com 8 e 10 anos, e dois meninos, um com 1 ano e o outro ainda sem a idade confirmada por falta de documentação - segundo análise preliminar, ele aparentaria ter entre 2 e 3 anos. Os garotos eram filhos do homem, enquanto as meninas, suas enteadas, filhas de sua mulher.

Mais: Relembre crimes em família que chocaram o Brasil

 - Onda de crimes em família divide especialistas

- Povo não crê em crimes de pessoas bonitas e famílias harmônicas, diz psiquiatra

A Polícia soube do caso às 14h24 desta quinta, quando o homem telefonou afirmando que havia assassinado os filhos e que posteriormente tiraria também a própria vida. "Pode entrar na casa, não precisa nem bater na porta, porque ninguém vai atender. Todos estarão mortos", teria dito ele na ligação. A PM se dirigiu ao local apontado pelo sujeito e o encontrou no chão do banheiro da residência, que estava trancado, com ferimentos no pescoço.

O caso está sob responsabiliade do 41° Distrito Policial, localizado na Vila Rica, mas deve ser encaminhado para investigação da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Relembre outros crimes em família que chocaram o Brasil:

Velório das crianças mortas a facadas pelo pai São Paulo . Foto: Futura PressSara Kelly, mãe das vítimas, durante velório das crianças mortas a facadas pelo pai São Paulo . Foto: Futura PressMarcelo Pesseghini ao lado do pai, o sargento da Rota Luiz Marcelo Pesseghini. Segundo a polícia, Marcelo é responsável pela morte dos pais. Foto: Arquivo pessoalEstudante de enfermagem Loanne Rodrigues da Silva Costa, de 19 anos, e o padrasto foram encontrados mortos e acorrentados pelos pés a uma árvore. Foto: Reprodução/FacebookSegundo a polícia, os filhos acreditavam que o padrasto de Loane poderia ter planejado matar a jovem e sentiria desejo por ela. Foto: Reprodução/FacebookLoanne e o padrastro tiveram abdômen cortado e órgãos arrancados, segundo a polícia. Foto: Reprodução/FacebookAntes do assassinato, a jovem já havia recebido ameaças de morte e sido agredida com uma paulada na cabeça. Foto: Reprodução/FacebookAmiga de Loanne disse à polícia que o padrasto ligava o tempo todo para a jovem. Foto: Reprodução/FacebookO corpo do menino Joaquim Ponte, de 3 anos, foi encontrado boiando em um rio . Foto: Alfredo Risk/Futura PressO padrastro Guilherme Longo é suspeito do assassinato de Joaquim. Foto: Reprodução/EPTVJoaquim Ponte Marques, de 3 anos, ficou desaparecido por cinco dias. Foto: Futura PressNatália Ponte, mãe de Joaquim, deve responder por omissão. Foto: Piton/Futura PressGuilherme Longo participa de reconstituição da morte de Joaquim. Foto: Futura PressA avó materna de Joaquim, Cristina Ponte, durante o velório. Foto: Futura PressFamiliares, amigos e moradores de São Joaquim da Barra participam do velório do menino Joaquim . Foto: Alfredo Risk/Futura PressUm casal de brasileiros e sua filha de 10 anos foram encontrados mortos dentro de casa. Foto: Reprodução/FacebookA polícia suspeita de duplo assassinato seguido de suicídio por conta dos problemas financeiros enfrentados pela família. Foto: Reprodução/FacebookO motoboy sandro Dota foi condenado a 31 anos por matar e estuprar a cunhada Bianca Consoli. Foto: Futura PressMãe mata as duas filhas e comete suicídio dentro de casa, no Butantã, zona oeste de São Paulo. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressAmigas das adolescentes supostamente mortas pela mãe choram em frente à casa da família no bairro do Butantã. Foto: Futura PressGil Rugai foi condenado a 33 anos e 9 meses de prisão pelas mortes do pai e da madrasta. Foto: Futura PressAo ler da condenação do réu, o juiz se referiu a Gil Rugai como um pessoa "extremamente perigosa" e "dissimulada", já que tentava passar a imagem de "bom moço". Foto: Alice Vergueiro/Futura PressRéu Gil Rugai chega ao segundo dia do júri popular, em SP. 'Eu não matei. Sou inocente', disse. Foto: Alice Vergueiro/Futura PressGil Rugai chega ao Fórum da Barra Funda, em São Paulo, com a mãe e o irmão. Foto: Futura PressMaioria do júri concordou que o duplo homicídio foi cometido por motivo torpe, pois Rugai não se conformou por ter sido afastado dos negócios do pai. Foto: AEAnna Carolina Jatobá e Alexandre Nardoni, madrasta e pai da menina Isabella, foram condenados por arremessar a menina do 6º andar do prédio onde moravam. Foto: WERTHER SANTANA/AEAnna Carolina Jatobá cumpre pena na penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo. Foto: AEAnna Carolina Jatobá  e Suzane von Richthofen cumprem pena no mesmo complexo penitenciário. Foto: ArquivoSuzane von Richthofen e Anna Carolina Jatobá em Tremembé. Foto: ArquivoSuzanne foi condenada por participação no assassinato dos pais em 2002. Foto: Futura Press


Leia tudo sobre: igspassassinato

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas