Rodoviários e governo do Distrito Federal entram em acordo e greve é descartada

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Representantes dos trabalhadores ameaçavam iniciar paralisação neste segunda, semana em que começa a Copa

Agência Brasil

Representantes de empresas de ônibus do Distrito Federal, do governo e dos empregados finalmente chegaram a um acordo, neste domingo (8). Assim, a paralisação prevista para ser iniciada na segunda-feira (9) está descartada.  

Leia: Motoristas e cobradores do DF pedem aumento e ameaçam entrar em greve

A categoria conseguiu reajuste salarial de 20%, aumento de 40% na cesta básica e acréscimo de 20% no tíquete-alimentação. Desta forma, os motoristas que hoje recebem R$ 1.607 passarão a ganhar R$ 1.928, enquanto os cobradores terão os vencimentos aumentados de R$ 840 para R$ 981.

O diretor do Sindicato dos Rodoviários do Distrito Federal, Raimundo Francisco Carvalho, comemorou o resultado e considerou o acordo histórico. “Era o que o rodoviário esperava. Foi uma conquista que desejávamos há vários anos”, disse ele.

Segundo Raimundo Francisco, outra coquista foi que os motoristas de ônibus articulados terão um acréscimo de 10% nos salários. “Agora, a população pode ficar tranquila, que não haverá mais a greve. Os empresários não falaram, durante a negociação, em reajuste de tarifas. Pelo menos, neste momento, não.”

A capital federal sedia, no dia 15 de junho, seu primeiro jogo na Copa do Mundo: Suíça e Equador, às 13h, no Estádio Nacional Mané Garrincha.

Leia tudo sobre: greveparalisaçãorodoviáriosdistrito federaldf

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas