Termina greve de ônibus em Salvador; três capitais ainda enfrentam paralisação

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Motoristas de Salvador concordaram com a proposta de reajuste salarial de 9% e aumento em benefícios

A greve que impedia a circulação de ônibus municipais em Salvador deste a tarde de segunda-feira (26) terminou no início da tarde desta quarta-feira (28). De acordo com o vice-presidente do Sindicado dos Rodoviários, Fábio Primo, os rodoviários concordaram com a proposta de reajuste de 9%, incluindo R$ 14 reais em ticket alimentação e a redução da jornada de trabalho para 7 horas, sendo que 20 minutos são para descanso.

São Paulo: Metroviários aprovam greve para o dia 5 de junho

Romildo de Jesus
Nos pontos, a espera pelo transporte alternativo

Propostas para o fim da greve dos rodoviários em Salvador foram discutidas por representantes do Sindicato dasEmpresas de Transportes de Passageiros de Salvador (SETPS) juntamente com representantes da Secretaria Municipal de Urbanismo e Transportes e representantes da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Com o fim da paralisação na capital baiana, pelo menos três capitais brasileiras seguem com paralisações de motoristas e cobradores. São Luís, Rio de Janeiro e Florianópolis.

Em São Luís, patrões e empregados não entraram em acordo e toda a frota de coletivos da capital maranhense ficou fora de circulação pelo segundo dia seguido. Os motoristas reivindicam aumento de 16% nos salários, R$ 500 de vale alimentação, inclusão de dependente no plano de saúde e contratação de plano odontológio. Segundo o sindicato que representa os trabalhadores, a greve é por tempo indeterminado. 

Osvaldo Praddo / Agência O Dia
Passageiros formam enorme fila para pegar ônibus; paralisação teve pouca adesão

No Rio de Janeiro, a paralisação de 24h que teve início à 0h desta quarta-feira, está tendo pouca adesão da categoria. De acordo com o Rio Ônibus (sindicato das empresas), 80% da frota está circulando e não há nenhum registro de violência. A representação patronal já havia ameaçado descontar o dia não trabalhado dos grevistas e a demissão por justa causa.

Em Florianópolis, parte da frota está parada após decisão de greve adotada em assembleia realizada na terça-feira. Segundo a prefeitura, a secretaria de mobilidade urbana de Florianópolis acionou um esquema com vans escolares e de turismo para suprir a ausência dos ônibus. A ação visa a amenizar os transtornos à população. Para isso, haverá cerca de 200 vans e micro-ônibus do serviço de turismo e escolar, todas com saída do centro em direção aos bairros.

* Com informações da Tribuna da Bahia e do O Dia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas