Denúncias por telefone sobre violência contra a mulher caem 27,3%, em 2013

Por Luciana Lima - iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

Para governo, queda não pode ser comemorada, já que faltou propaganda massiva sobre o serviço

Balanço feito pela Secretaria de Mulheres da Presidência da República (SPM) apontou queda no total de ligações para o Ligue 180, serviço destinado ao atendimento de casos de violência contra a mulher. No entanto, na avaliação do próprio governo, esta diminuição não pode ser comemorada, já que não indica redução efetiva na incidência deste tipo de violência. De acordo com a secretária nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher da SPM, Aparecida Gonçalves, a redução do número das denúncias está muito mais ligada à falta de campanha publicitária massiva com informações sobre o serviço.

Especialista: Estado deve proteger mulher e não apenas punir agressor

Dilma: Brasil tem muito a avançar no combate à violência contra a mulher

“No ano passado nós tivemos apenas uma campanha de divulgação do serviço no final do ano. Além disso, não tivemos divulgação pelo rádio, que atinge mulheres de municípios mais distantes. Esta campanha foi feita pelo governo federal e geralmente é replicada pelos estados. No entanto, apenas três estados brasileiros replicaram a campanha”, avaliou Aparecida Gonçalves. A campanha federal só foi repercutida pelos governos da Bahia, de Sergipe e do Distrito Federal.

Além da falta de divulgação, só no ano passado, o Ligue 180 passou a funcionar como central de denúncia. Antes, o serviço era prestado como uma central de informações já que não registrava a denúncia propriamente dita. O usuário era orientado a ligar para o telefone central da polícia e a procurar a delegacia especializada mais próxima, um detalhe que pode ter contribuído como desestímulo para as denúncias.

Apesar da queda 27,3% no número geral de ligações, o balanço de 2013 apontou um total de 532.711 registros, contra 732.451 registros no ano anterior. Desde o lançamento do serviço, em 2013, foram registradas 3,6 milhões de ligações.

Leia mais: Projeto fotográfico propõe reflexão sobre agressão doméstica a mulheres

De acordo com a SPM, do total de 106.860 encaminhamentos para a rede de atendimento, 62% foram direcionados ao sistema de segurança e justiça, ou seja, resultaram em processos.

O levantamento aponta ainda que houve uma capilaridade maior do serviço em 2013. De acordo com dados da SPM, subiu de 50% para 70% o percentual de municípios de origem das chamadas. O percentual de mulheres que denunciaram a violência logo no primeiro episódio também subiu em 20%. A SPM identificou ainda que, em 81% dos casos, os autores das agressões eram pessoas que têm ou tiveram vínculo afetivo com as vítimas.

A violência física representa 54% dos casos relatados e a psicológica, 30%. Houve 620 denúncias de cárcere privado no ano passado e 340 de tráfico de pessoas. No ano passado, o Ligue 180, serviço de disque-denúncia destinado a casos de violência contra a mulher registrou 1.151 denúncias de violência sexual, o que corresponde à média de três ligações por dia sobre o tema.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas