Indenização por acidentes na Semana Santa dobram em cinco anos

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

No feriado dos últimos anos, o Brasil registrou uma média de mil acidentes com veículos com vítima por dia

Agência Brasil

Luiz Claudio Barbosa/Futura Press
Acidente envolvendo dois veículos na avenida Senador Teotônio Villela, em Cidade Dutra, no feriado desta sexta-feira

No feriado da Semana Santa dos últimos cinco anos, o Brasil registrou uma média de mil acidentes com veículos com vítima por dia. Os dados são da Seguradora Líder, responsável pelo Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (Dpvat), e consideram apenas os pedidos de indenização por morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas e hospitalares.

De acordo com a seguradora, foram 4.742 pagamentos para acidentes ocorridos durante o feriado de 2013, número 94,4% maior do que o registrado em 2009. O diretor de Relações Institucionais da seguradora, Marcio Norton, explica que o aumento da frota de motocicletas no país responde por parte desse aumento.

Assista: Compilação reúne os acidentes mais inusitados

Veja as imagens desta Sexta-feira Santa

Papa Francisco reza deitado no chão da Basílica de São Pedro durante celebração da Paixão de Cristo, no Vaticano. Foto: ReutersVisão da Basílica de São Pedro durante celebração da Paixão de Cristo, no Vaticano. Foto: ReutersEncenação da tradicional Via Sacra do Povo da Rua em São Paulo (SP), na manhã desta sexta-feira (18), na Praça da Sé. Foto: Alice Vergueiro/Futura PressEncenação da Via Sacra, nos Pavilhões da Festa da Uva, em Caxias do Sul (RS), nesta sexta-feira (18). Foto: Luca Erbes/Futura PressCelebração da Sexta-Feira Santa em Gonçalves, em Minas Gerais. Foto: ReutersCelebração da Sexta-Feira Santa em Gonçalves, em Minas Gerais. Foto: ReutersCelebração da Sexta-Feira Santa no Líbano. Foto: ReutersCelebração da Sexta-Feira Santa em Lagos, na Nigéria. Foto: ReutersHomem vestido como Jesus Cristo durante encenação, nesta sexta-feira em Lagos, na Nigéria. Foto: ReutersAgentes sérvio e espanhóis da Força de paz da ONU carregam uma cruz durante a cerimônia nesta sexta-feira na Síria. Foto: ReutersCelebração da Sexta-Feira Santa em Bensheim, na Alemanha. Foto: ReutersCrianças da comunidade italiana participam de encenação da crucificação de Jesus, em Bensheim, na Alemanha. Foto: ReutersPregos perfuram os pés de um penitente durante um ritual de Sexta-feira Santa, em San Fernando, Pampanga, no norte Filipinas. Foto: ReutersUm devoto faz o papel de Jesus Cristo em uma procissão na cidade indiana de Guwahati. Foto: ReutersO fiel Danilo Ramos sofre ao ser pregado em uma cruz de madeira durante a reconstituição da morte de Jesus Cristo nas Filipinas . Foto: ReutersCelebração da Sexta-Feira Santa em San Fernando, Pampanga, no norte Filipinas . Foto: ReutersHomem faz o papel de Jesus e carrega a cruz durante procissão da Via Sacra, nesta sexta-feira (18) , na Cidade Velha de Jerusalém. Foto: ReutersPeregrinos participam de procissão próxima a torre Eifel, em Paris, nesta sexta-feira. Foto: ReutersFiéis se reúnem em torno da estátua do Santíssimo Cristo na praia em Valência, na Espanha. Foto: ReutersFila antes do início de uma procissão em Jerusalém, nesta sexta-feira (18). Foto: ReutersPeregrinos participam de procissão próxima a torre Eifel, em Paris, nesta sexta-feira. Foto: ReutersUm menino beija um crucifixo nesta sexta-feira no monastério Penteli, a norte de Atenas. Foto: ReutersCatólica reza durante missa em Nova Delhi, na Índia, nesta sexta-feira (18). Foto: ReutersFiéis celebram a Sexta-Feira Santa em Jerusalém. Foto: ReutersCelebração ortodoxa durante uma procissão nesta sexta-feira no monastério Penteli, a norte de Atenas. Foto: ReutersFiel beija bíblia decorada em uma igreja durante celebração da Sexta-Feira Santa, na cidade grega de Salónica. Foto: APBanhistas observam procissão em Valência, na Espanha. Foto: ReutersFiel beija bíblia decorada em uma igreja durante celebração da Sexta-Feira Santa, na cidade grega de Salónica. Foto: APFiéis celebram a Sexta-Feira Santa pelo mundo. Foto: ReutersFiel beija bíblia decorada em uma igreja durante celebração da Sexta-Feira Santa, na cidade grega de Salónica. Foto: APFiéis cristãos seguram cruzes em procissão nesta sexta-feira, em Jerusalém. Foto: ReutersFiel beija bíblia decorada em uma igreja durante celebração da Sexta-Feira Santa, na cidade grega de Salónica. Foto: AP

“Nas coberturas em geral e na invalidez permanente, no caso da moto é muito característico. A pessoa cai da motocicleta e não tem um airbag, um para-lama, um para-choque para proteger. Ela própria vai no chão e as lesões mais comuns são dos ossos longos das pernas e braços. A invalidez, ainda que não seja total ou tenha uma perda anatômica de algum órgão, o motociclista tem a perda de movimento e de mobilidade, tem alguma sequela e aí tem a indenização de invalidez”.

Os acidentes envolvendo motocicletas são maioria e tiveram aumento maior do que a média geral: 122,5% em cinco anos, passando de 1.589 indenizações em 2009 para 3.535 em 2013. Só de invalidez permanente causada por acidentes com moto, o número passou de 994 para 2.591, um aumento de 160,7%.

Veja também: Fugitivo sofre acidente de carro e se dá mal

As indenizações por morte aumentaram 23,6%, sendo 80% delas para vítimas do sexo masculino. Na Semana Santa do ano passado, foram 189 acidentes com morte na Região Nordeste, o que representa 34,4% do total, seguido do Sudeste, com 175 indenizações, 31,9%. O número ainda pode aumentar, já que a vítima ou beneficiário tem três anos para pedir a indenização.

Norton lembra que o trânsito no Brasil mata mais do que guerra e do que muitas doenças, número que aumenta em feriados prolongados como o do Carnaval e da Semana Santa. “Morrem, em média, 125 pessoas por dia durante o ano, mas nesses períodos sobe para 150, 160, e consequentemente também o número de invalidez e outros danos, que cresce também. Se você pensar bem, em dois dias morrem no trânsito o equivalente ao número de mortes da Boate Kiss ou da queda de um avião, só que os acidentes são mais dispersos, não causam uma comoção mais generalizada, uma dor coletiva”.

O Seguro DPVAT foi criado em 1974 e é pago a todas as vítimas de acidentes de trânsito no Brasil, seja ela motorista, passageiro ou pedestre, e sem apuração de culpa. São três coberturas: morte (R$ 13,5 mil), invalidez permanente (até R$ 13,5 mil) e reembolso de despesas médicas e hospitalares (até R$ 2,7 mil). Os documentos necessários para fazer o pedido e os pontos de atendimento podem ser consultados no site www.dpvatsegurodotransito.com.br .

Leia tudo sobre: indenizaçõesbrasilsemana santaacidente

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas