Força Nacional permanecerá em Rondônia na ajuda às vítimas de enchente

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Governador de Rondônia pediu a prorrogação da permanência da Força Nacional no Estado até o dia 11 de março

Agência Brasil

Os homens da Força Nacional de Segurança Pública continuarão reforçando por mais 60 dias as ações de defesa civil e segurança em Rondônia nas áreas atingidas pela cheia do rio Madeira. A portaria do Ministério da Justiça que prorroga a permanência do efetivo está na edição desta sexta-feira (4) do Diário Oficial da União.

Mais: Bairro ilhado no Acre teme virar parte da Bolívia

Governo do Acre decreta situação de emergência e aguarda liberação de recursos federais. Foto: Secom Acre/Sergio ValeRio atingiu a marca de 17,81 metros acima do nível normal. Foto:  Marcos Freire / DecomMais de mil famílias estão sendo atendidas em abrigos improvisados, em escolas e igrejas. Foto:  Marcos Freire / DecomEstado deve receber o segundo carregamento de medicamentos enviado pelo Ministério da Saúde. Foto:  Marcos Freire / DecomDoações são recolhidas e distribuídas pela Defesa Civil. Foto:  Marcos Freire / DecomExpectativa é de que o impacto em Rondônia só ocorrerá daqui a cerca de seis dias. Foto:  Marcos Freire / DecomCheia bate recorde no rio Madeira, em Rondônia. Foto:  Marcos Freire / Decom

O governador de Rondônia, Confúcio Moura, pediu a prorrogação da permanência da Força Nacional no dia 11 de março. O prazo do apoio prestado pelo efetivo poderá ser prorrogado novamente.

A Força Nacional ajuda na transferência de famílias que tiveram que deixar suas casas por causa da enchente do Rio Madeira, no controle e segurança de rodovias. A operação tem o apoio logístico e a supervisão dos órgãos de segurança pública de Rondônia.

Leia também:

Nível dos rios Acre e Madeira voltou a subir

Dilma sobrevoa Rio Madeira e diz que usinas não podem ser culpadas por cheia

Bombeiros da Força Nacional, especializados no trabalho de resgate de vítimas e no auxílio a desabrigados, estão no estado desde 21 de fevereiro.

O rio, que tem cota de alerta de 14 metros, registrou 19,59 metros na última medição feita hoje pela Agência Nacional de Águas. Em todo o estado, cerca de 25 mil pessoas foram afetadas pelas enchentes, a maioria ribeirinhos de Porto Velho e seus distritos.

Leia tudo sobre: rondôniaacresão pauloforça nacional

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas