Hotéis e carros de luxo são alvo de operação da PF contra lavagem de dinheiro

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Agentes cumprem ordens de sequestro de imóveis de alto padrão e apreensão de patrimônio obtido por meio do crime

A Operação Lava Jato da Polícia Federal, deflagrada na manhã desta segunda-feira (27) para desarticular quadrilhas suspeitas de lavagem de cerca de R$ 10 bilhões incluiu a ordem de sequestro do hotel Blue Tree Londrina e outros imóveis de alto padrão, além da apreensão de carros de luxo e outros bens adquiridos com o dinheiro do crime. Um hotel em São Paulo e um outro de Porto Seguro (BA) também foram sequestrados.

Veja imagens dos bens que foram alvo da operação:

PF apreende farta quantia de reais e dólares no Rio de Janeiro. Foto: Divulgação/Polícia FederalPF apreendeu grande quantidade de dinheiro em cofre na cidade de Londrina, no Paraná. Foto: Divulgação/Polícia FederalEntre os crimes investigados estão contrabando de pedras preciosas e desvios de recursos públicos. Foto: DivulgaçãoSão cumpridas também ordens de seqüestro de imóveis de alto padrão, além da apreensão de patrimônio adquirido por meio de práticas criminosas. Foto: DivulgaçãoCarro de luxo apreendido pela PF. Foto: DivulgaçãoEntre os bens apreendidos, foram encontradas obras de arte no Paraná. Foto: Divulgação/PFPosto de combustível no DF onde foram feitas apreensões. Foto: Divulgação/PFOperação Lava Jato da Polícia Federal. Foto: Divulgação

Em nota, o hotel Blue Tree Londrina afirmou que continua funcionando normalmente. A empresa alega que não houve o sequestro do hotel e sim uma requisição de documentos. Segundo a nota, a empresa disse que é somente a administradora da unidade e que não possui qualquer vínculo com a investigação em questão e que se mantém disposta a colaborar no que for necessário.

A ação prevê ainda o bloqueio de dezenas de contas e aplicações bancárias. Até o fim da manhã, três suspeitos haviam sido presos no Distrito Federal - um deles, dono de um dos maiores postos de combustíveis da área central de Brasília, próximo à Torre de TV, onde também funciona uma lavanderia e uma casa de câmbio, todas usadas no negócio.

Até as 13h46, durante o cumprimento de mandados preventivos e temporários, 24 pessoas tinham sido presas. A expectativa da PF é cumprir 81 mandados de busca e apreensão, 18 mandados de prisão preventiva, dez mandados de prisão temporária e 19 mandados de condução coercitiva em 17 cidades do Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Mato Grosso e do Distrito Federal.

O nome da operação vem de atividade adotada por um dos grupos, que usava uma rede de lavanderias e postos de combustíveis para movimentar o dinheiro.

De acordo com a PF, as quadrilhas investigadas envolvem alguns dos principais personagens do mercado clandestino de câmbio no Brasil e são responsáveis pela movimentação financeira e lavagem de ativos de diversas pessoas físicas e jurídicas envolvidas com tráfico internacional de drogas, corrupção de agentes públicos, sonegação fiscal, evasão de divisas, extração, contrabando de pedras preciosas e desvios de recursos públicos, entre outros crimes.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas