Em caráter emergencial, ANTT vai contratar empresa de ônibus para Entorno do DF

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Medida prevê que 220 ônibus entram em funcionamento, a partir do início de abril. Nesta manhã (17), manifestantes reivindicaram melhorias no transporte público

Agência Brasil

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) vai publicar amanhã (18) um chamamento público para contratar uma ou mais empresas de ônibus interessadas no transporte de passageiros na Saída Sul do Distrito Federal e precisam se deslocar para a capital federal. A medida tem caráter emergencial e prevê que 220 ônibus entram em funcionamento, a partir do início de abril, paralelamente às atuais empresas responsáveis pela rota.

Mais: Polícia detém 11 pessoas em protestos no Entorno do DF

Nesta manhã, cerca de 300 manifestantes interditaram parte da BR-040 e DF-290 pedindo melhorias do transporte público. Motoristas da Viação Anapolina (Vian), empresa que atua no local, disseram que o problema começou por volta das 4h, quando os funcionários da empresa, insatisfeitos por não receber salário, recusaram-se a sair da garagem, que está fechada desde sexta-feira.

De acordo com Ana Patrizia Lira, diretora da ANTT, a agência vem acompanhando o problema dos passageiros do Entorno do Distrito Federal, inclusive conversando com a empresa para que solucione a questão do pagamento de salários. Diariamente, 103 mil passageiros transitam, entre ida e volta, das cidades do Entorno para a capital. “Estamos trabalhando com a Anapolina para que isso seja resolvido. A gente espera que amanhã já esteja regularizado”, disse a diretora, acrescentando que a empresa está sendo autuada pela não prestação do serviço.

Como esta é uma medida emergencial, a ANTT informou que também em abril será lançado edital de licitação dos serviços de transporte no Entorno. Segundo Ana Patrizia, a previsão é de que a transição ocorra por quatro meses, a partir de dezembro, quando os nomes dos vencedores serão conhecidos.

O objetivo é dividir o mercado entre quatro grandes lotes de serviços, de modo que sejam contratadas quatro empresas para operarem o sistema de transporte na região. De acordo com a diretora, as empresas interessadas deverão cumprir critérios como regularidade jurídica e fiscal, capacitação técnica, além de ter veículos de boa qualidade, como tempo de uso médio de cinco anos. Terão de observar regras como ocupação máxima de passageiros, pontualidade e eficiência na prestação de serviços.

Segundo a ANTT, 1.405 ônibus vão integrar o novo sistema em todos os 11 municípios do estado de Goiás, incluindo as saídas Norte e Sul. Ainda de acordo com a diretora, um consórcio público formado pela agência e pelos governos do Distrito Federal, de Goiás e das cidades será criado para organizar o transporte na região.

Leia tudo sobre: ônibuscaráter emergencialprotestosdf

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas