Com cheia dos rios, Acre decreta situação de emergência

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Governo do Acre decreta situação de emergência e aguarda liberação de recursos federais

Agência Brasil

Isolado por causa das cheias dos rios, o governo do Acre decretou situação de emergência. Segundo a secretária-adjunta de Comunicação do Estado, Andréa Zílio, o governo federal acatou o pedido e o Ministério da Integração Nacional deve reconhecer oficialmente o decreto estadual nos próximos dias, para liberar recursos destinados à assistência das famílias atingidas.

Mais:

Cheia do Rio Madeira prejudica ano letivo em Rondônia

Força Nacional é enviada para auxiliar vítimas da enchente em Rondônia

Governo do Acre decreta situação de emergência e aguarda liberação de recursos federais. Foto: Secom Acre/Sergio ValeRio atingiu a marca de 17,81 metros acima do nível normal. Foto:  Marcos Freire / DecomMais de mil famílias estão sendo atendidas em abrigos improvisados, em escolas e igrejas. Foto:  Marcos Freire / DecomEstado deve receber o segundo carregamento de medicamentos enviado pelo Ministério da Saúde. Foto:  Marcos Freire / DecomDoações são recolhidas e distribuídas pela Defesa Civil. Foto:  Marcos Freire / DecomExpectativa é de que o impacto em Rondônia só ocorrerá daqui a cerca de seis dias. Foto:  Marcos Freire / DecomCheia bate recorde no rio Madeira, em Rondônia. Foto:  Marcos Freire / Decom

A secretária explica que a maior preocupação é quanto à carência de gás de cozinha e hortifrutigranjeiros. “Os caminhões mais altos ainda conseguem trafegar na BR-364 e até amanhã [28] devem chegar dois, além de uma balsa, carregados com gás de cozinha”, disse Andrea.

Além do desabastecimento provocado pela cheia do Rio Madeira, que limitou o tráfego na BR-364, que liga o Acre a Rondônia, 331 famílias continuam abrigadas no Parque de Exposições de Rio Branco (AC), por causa da elevação do nível do Rio Acre.

Algumas cidades do Amazonas, próximas à divisa com o Acre e Rondônia, também estão isoladas e, segundo o governo do estado, foi enviado um plano à Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil que prevê apoio aéreo para abastecer com remessas de ajuda humanitária os municípios de Boca do Acre, Humaitá e Lábrea. Sete cidades estão em situação de emergência: Pauní, Guajará, Ipixuna, Boca do Acre, Envira, Humaitá e Lábrea. Manicoré está em alerta máximo e Canutama, Novo Aripuana e Eirunepe estão em atenção.

Na última terça-feira (25), o ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, fez sua segunda visita a Rondônia para acompanhar a situação do Rio Madeira e a assistência às famílias afetadas.

Leia tudo sobre: acrerio madeirarondônia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas