Desafio: o futuro dos black blocs nas manifestações de rua

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Para discutir sobre o assunto, o iG convidou Esther Solano, socióloga e professora na Unifesp, e o coronel Telhada (PSDB), vereador paulista que foi tenente-coronel na Rota

Semanalmente, o programa "Desafio" recebe dois convidados estimulados a defender seus pontos de vista sobre um tema polêmico. Nesta quarta-feira (26), os black blocs entram em foco. Após a morte do cinegrafista da TV Bandeirantes Santiago Andrade, especialistas, forças de segurança e parte da imprensa criticaram os métodos usados por adeptos da tática black bloc no protestos. Por outro lado, estudiosos da estratégia defendem que o movimento ganhou força em resposta à repressão da Polícia Militar nos atos de rua.

Principal alvo dos black blocs é a Copa do Mundo, diz pesquisadora

Morte de cinegrafista deve enfraquecer ou isolar black bloc, dizem especialistas

Para discutir sobre o assunto, o iG convidou Esther Solano, socióloga e professora na Universidade Federal de São Paulo, e o Coronel Telhada (PSDB), vereador que foi tenente-coronel das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota).

Na opinião de Esther, os mascarados são um “sintoma social” do desprezo que os jovens têm pelas estruturas políticas clássicas, como partidos e movimentos sociais. Já o vereador critica os black blocs por ser “frontalmente contra o rompimento das leis e a qualquer tipo de violência”.

Leia tudo sobre: Desafioblack blocsblack bloc

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas