Contra concentração em shoppings, socialite propõe rolezódromo com o nome da mãe

Por Clarice Sá , iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Participante do programa Mulheres Ricas Regina Manssur vê risco de aglomerações em shoppings “descambarem”

Após se declarar apavorada pela possibilidade dos rolezinhos representarem risco à segurança de frequentadores de shoppings, a advogada Regina Manssur, ex-participante do programa Mulheres Ricas, da Band, se colocou à disposição dos jovens para negociar com os governos a criação de espaços onde possam se reunir, apelidados de “rolezódromos”. Ainda sugere que o local seja batizado em homenagem à sua mãe, Marília Lima, falecida há três anos.

Conheça a home do Último Segundo

Rolezinhos serão avisados com antecedência e terão menos participantes

Assista ao vídeo:

Regina evita se declarar contra os rolezinhos porque, por lei, não se pode impedir a entrada de qualquer pessoa em um lugar aberto ao público. “Se não for protesto, tudo bem. Não só shopping, mas qualquer lugar fechado não é lugar de protesto.”

Ela condena também a convocação para rolezinhos pelas redes sociais e diz que enxerga um enorme risco à segurança na reunião de participantes em grande número. “A aglomeração descamba. A aglomeração é perigosa. Por que existe Contru, Corpo de Bombeiros, saída de emergência, instrução de incêndio? Porque lugar fechado é perigoso”. Ela ressalta ainda que, como o shopping responde na Justiça por qualquer contratempo que ocorra em suas dependências, precisa evitar qualquer risco.

Mais: "Situação é de desespero", diz Regina Manssur sobre nova Lei das Domésticas

Além disso, Regina se preocupa com a possibilidade de os encontros atrairem baderneiros infiltrados. “Sou contra qualquer tipo de repressão. Agora, fazer baderna, pode ser no shopping, na rua, na praia, eu sou contra. E realmente me senti apavorada de existir uma baderna no shopping.” A possibilidade de intervenção policial, como aconteceu no shopping Itaquera no início de dezembro, é “pior ainda”, diz, por conta do risco de um lugar fechado virar “uma praça de guerra”.

Rolezinhos:

Rolezinho é reprovado por 82% dos paulistanos, segundo Datafolha

Rolezinhos assustam shoppings em Brasília

Rolezinho se expande pelo País com caráter de protesto

Veja fotos dos rolezinhos: garotas participam de evento no Ibirapuera (19/1). Foto: Luiz Claudio Barbosa/Futura PressGarotos dançam durante rolezinho no parque Ibirapuera. Foto: Luiz Claudio Barbosa/Futura PressShopping JK Iguatemi fechou as portas para impedir protestos contra liminar que coibiu rolezinho marcado para o local na semana passada. Foto: Dario Oliveira/Futura PressRolezinhos de protesto defendem adolescentes paulistas, mas estão fora da periferia (17/01/2014). Foto: Reprodução/FacebookPágina do rolezinho no Moinho Shopping, em Porto Alegre (17/01/2014). Foto: Reprodução/FacebookManifestantes em frente ao Shopping Jardim Sul, nesta quinta-feira. Foto: Ana Flávia OliveiraProtesto em frente ao Jardim Sul, na região do Morumbi, na zona sul. Foto: Ana Flávia OliveiraMulher protesta em frente ao shopping da zona sul de São Paulo. Foto: Ana Flávia OliveiraSenador Aluyzio Nunes chama participantes de rolezinhos de "cavalões" no Twitter (16/01/2014). Foto: ReproduçãoApós serem expulsos pela polícia de shopping onde faziam rolezinho, jovem é visto segurando pedaço de madeira (11/01/2014). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloAo menos 11 jovens foram detidos e levados para delegacia neste sábado (11), após rolezinho no shopping Aricanduva (11/01/2014). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloJovens fazem "rolezinho" no shopping Aricanduva neste sábado (11/01/2014). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloJovens fazem  rolezinho no Shoping Aricanduva (11/01/2014). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloJovens fazem rolezinho no Shopping Aricanduva (11/01/2014). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloJovens fazem rolezinho no shopping Aricanduva (11/01/2014). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloJovens fazem rolezinho no shopping Aricanduva (11/01/2014). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloJovens fazem rolezinho no shopping Aricanduva neste sábado (11/01/2014). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloJovens fazem rolezinho no shopping Aricanduva (11/01/2014). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloJovens fazem rolezinho no shopping Aricanduva (11/01/2014). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloJovens fazem rolezinho no shopping Aricanduva (11/01/2014). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloAproximadamente 6 mil jovens realizaram o primeiro rolezinho em São Paulo, no shopping Itaquera (10/012014). Foto: Divulgação/FacebookJovens postam foto em rede social ao participar de rolezinho no shopping (10/01/2014). Foto: Divulgação/FacebookFavoráveis à manifestação, três amigas foram ao rolezinho no Shopping Interlagos para assistir e "dar uns beijos" (10/01/2014). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGJhon Erick já pagou R$ 1 mil em um tênis: "Pelo menos é com roupa, não é com besteira, né?” (09/01/2014). Foto: ReproduçãoEnquanto alguns adolescentes tentam marcar encontros, outros alertam para o perigo dos rolezinhos (09/01/2014). Foto: ReproduçãoParticipantes do rolezinho postam foto no Facebook da polícia revistando garotos que participaram de rolezinho (09/01/2014). Foto: ReproduçãoO evento tem até a enquete “vocês vão ao shopping para quê?”. Algumas alternativas: tumultuar, tirar foto, beijar escondidinho (09/01/2014). Foto: Reprodução'Rolezinho' em shopping foi acompanhado por forte esquema de segurança (22/12/2013). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGLojistas fecham as portas após corre-corre em shopping da zona sul (22/12/2013). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGLojistas fecharam as portas do Shopping Interlagos após corre-corre (22/12/2013). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG

Como solução para o problema, que envolve o impasse entre o direito de estar no shopping e o incômodo provocado a frequentadores e comerciantes pelo grande número de participantes dos encontros, Regina diz que pode ajudar a viabilizar a criação de um espaço para os jovens. “Se os jovens quiserem um galpão, eu vou atrás de um terreno para eles. Tive essa ideia agora. Estou à disposição, me comprometo a fazer uma reunião com eles, receber no meu escritório, falar com o prefeito, buscar subvenção e construir. Com a mesma celeridade que construíram um estádio para Copa, a gente constrói um rolezódromo e põe o nome da minha mãe.”

Reprodução/Instagram
Regina Manssur, de vestido colado e curto, em Dubai, o que lhe rendeu uma reprimenda de uma mulher local em plena rua. "Depois disso, comprei dois lenços para me cobrir, voltei para o hotel e troquei de roupa", conta

As notícias sobre os rolezinhos chegaram a Regina quando ela estava em viagem de férias que incluiu uma visita a Paris após uma passagem por Dubai. Ela chegou ao Brasil no último domingo (26), no dia seguinte ao protesto contra a Copa do Mundo, que terminou com um manifestante baleado em São Paulo. Frente à violência ocorrida nas ruas, sente falta do respeito ao cidadão, algo que a encantou nos Emirados Árabes. “Quando vim para cá, comecei a chorar de pena de mim e do brasileiro.”

Sem julgar a tradicional distinção de tratamento entre homens e mulheres nos países islâmicos, ela faz um paralelo entre o que viu em Dubai e o que costuma ver no Brasil. “Essa mulher (em Dubai), ela toma um metrô limpo, vai a um supermercado limpo, anda na rua sem ser assaltada e os filhos dela têm escola. Aqui, a mulher tem liberdade, mas ela apanha pra caramba em casa. Apanha do marido - tem a lei Maria da Penha -, ela demora cinco horas para chegar ao emprego e não tem onde deixar os filhos. Não sei o que é pior.”

O encanto não se restringe a Dubai. Regina elogia também a limpeza do metrô de Paris e diz que só não deixa o Brasil para não se distanciar dos quatro filhos e dez netos que moram aqui. E nem precisaria ir muito longe. “O Uruguai é uma maravilha. No Uruguai, a moda é deixar a casa aberta pra verem sua decoração. Meu sonho é morar no Uruguai.”

Leia tudo sobre: rolezinhoregina manssurrolezódromoigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas