Preso é suspeito de ter sacado falso prêmio de R$ 73 milhões

Agência Brasil

A Polícia Federal prendeu ontem (28), na cidade de Araguaína (TO), mais um dos acusados de participar da fraude do falso bilhete com prêmio de R$ 73 milhões da Mega-Sena, sacado da Caixa Econômica Federal no dia 5 de dezembro de 2013.

Conheça a home do Último Segundo

Leia mais:  Polícia Federal investiga fraude de R$ 73 milhões na Mega-Sena

O acusado, Márcio Xavier de Lima, entregou-se à procuradora do Ministério Público Federal (MPF) na zona norte do Tocantins, Aldirla Pereira de Albuquerque, que ouviu o depoimento e convocou o comparecimento da Polícia Federal (PF) para cumprir o mandado de prisão.

Acúmulos seguidos de prêmios geram teorias da conspiração
Apostador diz ter ganho na Mega da Virada e que bilhete foi roubado

O preso foi recolhido à Casa de Prisão Provisória de Araguaína e o laudo pericial da PF comprovou que Márcio Xavier é a mesma pessoa que abriu conta-corrente na agência da Caixa em Tocantinópolis (TO) para recebimento do falso prêmio, quando usou o nome de Márcio Xavier Gomes de Souza.

A operação teve a conivência do gerente Robson Pereira do Nascimento, que pagou o prêmio sem validar o bilhete falso na central da Caixa, em São Paulo. Ele foi preso na primeira etapa das investigações, dia 18 deste mês, juntamente com o suplente de deputado federal pelo PMDB do Maranhão Ernesto Vieira de Carvalho Neto.

A PF tem mandados de prisão contra mais quatro envolvidos na fraude, que estão foragidos: Thales Henrique de Freitas, Antonio Rodrigues Filho e os irmãos Alberto Nunes Tujeiro e Paulo André Pinto Tujeiro. O delegado Omar Pepow, responsável pela investigação, acredita que outros pedidos de prisão podem surgir, de acordo com a identificação dos titulares das 200 contas suspeitas de terem movimentado os recursos da falsa Mega-Sena.

    Leia tudo sobre: Mega-sena
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.