O Rio que o turista não conhece: fuja da muvuca e aproveite o melhor da cidade

Por Nina Ramos - iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Mesmo após Ano Novo, cidade ainda vive clima de feriado e bares, praias e pontos turísticos estão muito concorridos

Nina Ramos/iG Rio
Parque Lage tem grutas, aquário e uma trilha de trilha de 2h30 que chega até o Corcovado

Com os termômetros batendo a marca dos 38°, bastava uma voltinha pela cidade para ver que o Rio de Janeiro, mesmo após o Ano Novo, continua em clima de feriado. Praias, bares, restaurantes, lojas de rua, feiras, exposições, Bondinho, Cristo Redentor… Para tudo é preciso paciência.

Nesta quinta-feira (2), para entrar no Jardim Botânico de carro, por exemplo, foi preciso esperar mais de 30 minutos por uma vaga. Conseguir um guarda-sol para alugar na praia de Ipanema é considerado milagre de réveillon. E tomar uma cerveja em qualquer botequim das ruas transversais da orla tem grandes chances de se tornar um passeio caótico.

Por isso, o iG resolver ajudar quem ainda tem esperanças de conhecer o Rio, mas fugindo da muvuca. Ressalva: é missão quase impossível encontrar locais totalmente tranquilos e vazios nesta época do ano. E outra, ainda vale a pena, por exemplo, encarar a fila do BB Lanches para tomar um suco de fruta do conde com maracujá e comer um pastel de carne. Mas, se falta disposição, seguem algumas dicas para um roteiro tipicamente carioca e sem grandes aglomerações.

Bar Bracarense, na Rua José Linhares, Leblon. Foto: Divulgação/RioturVale a pena provar as delícias do tradicional bar Bracarense . Foto: DivulgaçãoChopp e empada do Bracarense. Foto: Berg SilvaGrumari é uma praia ampla, cercada por costões e morros com vegetação de restinga. A praia promete uma experiência "off muvuca". Foto: Pedro Kirilos/RioturTranquilidade de Grumari atrai famosos ao longo do ano, como a atriz Sophie Charlotte . Foto: AgNewsDani Suzuki com o filho Kauai na praia de Grumari. Foto: Dilson Silva / AgNewsDani Suzuki com o filho Kauai, de 2 anos, e o  pai, Hiroshi Suzuki, na praia de Grumari. Foto: Dilson Silva / AgNewsGrutas do Parque Lage. Foto: Nina Ramos/iG RioParque Lage tem grutas, aquário e uma trilha de trilha de 2h30 que chega até o Corcovado. Foto: Nina Ramos/iG RioPizzaria Guanabara. Foto: DivulgaçãoApós passar pelos Arcos da Lapa, vale parar para o almoço no Nova Capela (Avenida Mem de Sá, 96). Foto: Divulgação/RioturEntre as atrações da Lapa estão o Bar Casa da Cachaça e o Boteco do Gomes . Foto: DivulgaçãoParque Laje. Foto: Nina Ramos/iG RioCristo visto do meio das palmeiras do Jardim Botânico. Foto: Nina Ramos/iG RioEstacionamento lotado do Jardim Botânico. Foto: Nina Ramos/iG Rio

Praias

Copacabana, Ipanema e Leblon costumam ser as faixas de areia mais frequentadas por banhistas de fora da cidade. Justo. É válido conhecer esses pontos, mas dê uma chance para as praias mais afastadas, na zona oeste. A área da Reserva, no Recreio dos Bandeirantes, vale a visita. Ainda além, Grumari, vizinha da badalada Prainha, promete uma experiência off muvuca. Fica dica: troque o mergulho noturno no Arpoador pelo Leme.

Passeios

Encarar os 40° não é para qualquer um. Seja você gringo ou não, às vezes é bom fugir para uma sombra em área verde ou para um museu. Lembra da confusão no estacionamento do Jardim Botânico? Se você chegar por lá a pé e cedo, o passeio é uma boa. Se você dormir demais, troque pelo vizinho Parque Lage (Rua Jardim Botânico, 414). É lá que funciona a Escola de Artes Visuais (EAV). O conjunto arquitetônico é incrível, as atrações (grutas, aquário e etc) se misturam com a natureza e ainda existe a possibilidade de uma trilha de 2h30 até o Corcovado. A entrada é gratuita.

Nina Ramos/iG Rio
Uma das grutas do Parque Lage

Seguindo sentido Gávea, o Instituto Moreira Salles (Rua Marquês de São Vicente, 476) é outro local que merece atenção. A casa que abriga o centro cultural é pronta para o clique, tamanha beleza, e seu acervo é coisa rara. Também com entrada franca, atualmente o IMS do Rio expõe a obra da artista inglesa Tacita Dean. No mesmo clima, a Casa Daros, em Botafogo (Avenida Lauro Sodré, 150), dá foco para a arte contemporânea em um casarão neoclássico do século XIX. De quebra, o café do local vale o pit stop.

E quer um mirante não tão concorrido quanto o do Forte de Copacabana ou a Vista Chinesa? É só subir para o Parque Dois Irmãos (acesso pela Rua Aperana, Alto Leblon). Com três níveis de parada, é possível apreciar a vista de Leblon, Ipanema, Arpoador e Lagoa de um só ponto. Tem ainda parquinho para as crianças e é permitido fazer piquenique no gramado. Para fechar, o bairro de Santa Teresa é rota certa da turistada, mas o Parque das Ruínas (Rua Murtinho Nobre, 169) vale o esforço.

Comida e bebida

Carioca que é carioca conhece bem um botequim e preza pelo bom quitute. Se você quer tomar uma cerveja gelada pós-praia e matar a fome com dicas de qualidade, papel e caneta na mão. A concentração de bares por Ipanema e Leblon é algo que não cabe no guia. Os pontos perto da orla sempre registrarão a maior quantidade de gente (Bar Veloso, Caneco 70, Itahy, Jobi, Informal, Vinicius Bar, Devassa, Academia da Cachaça, e etc), e vale a experiência de tomar uma gelada na calçada, de chinelo e areia no pé. Fica dica: bolinho de bacalhau do Bracarense (Rua José Linhares, Leblon), empada do Belmonte (Leblon, Ipanema e Copacabana) e bolinho de feijoada do Chico & Alaíde (Rua Dias Ferreira, 679).

Uma vez em Copacabana, a parada obrigatória é na Adega Pérola (Rua Siqueira Campos, 138). De donos portugueses, o local oferece variedade grande de cervejas e vários belisquetes em conversa, como azeitonas e alcachofra. Também é grande a gama de opções em Botafogo. No Salvação (Rua Henrique de Novaes, 55), por exemplo, a pedida é bolinho de batata baroa com camarão e croquete de carne. Para quem quer “fazer carão” e tomar bons drinks, o Comuna (Rua Sorocaba, 585) é o point dos “moderninhos”.

Se seu ponto é o Centro da cidade, após clicar os Arcos da Lapa, vale parar para o almoço no Nova Capela (Avenida Mem de Sá, 96). Uma quadra antes, perto da Rua do Lavradio, tem o Bar Casa da Cachaça, e o Boteco do Gomes (Rua do Riachuelo, 62) pode fechar o circuito, com um típico “pé limpo” da Lapa. Pintou vontade de pizza? Pode até encarar a tradicional Pizzaria Guanabara da Lapa, mas não deixe de provar a de sabor abobrinha na Pizzaria do Chico (Rua Santa Cristina, 63).

As livrarias também são melhores amigas na hora de matar a fome. No café da Prefácio (Rua Voluntários da Pátria, 39, Botafogo), você encontra ótimas opções para almoço, como sanduíche de parma com parmesão e massas com camarão. Já no café da Travessa (Rua Visconde de Pirajá, 572), a boa é apostar no cheeseburguer. Pode acreditar: ele deve te surpreender.

Leia tudo sobre: rio de janeiroréveillonguia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas