Princesinha do Mar ganhou reforço na segurança; 2,3 milhões de pessoas são esperada nesta terça (31)

Por precaução, grupo de Curitiba sai com pouco dinheiro no bolso e evita tirar o celular da bolsa
Nina Ramos/iG Rio
Por precaução, grupo de Curitiba sai com pouco dinheiro no bolso e evita tirar o celular da bolsa

A orla de Copacabana já exala o clima de réveillon. Nesta segunda-feira (30), a Princesinha do Mar recebeu os últimos detalhes para a grande festa de terça (31), que deve reunir até 2,3 milhões de pessoas. Para isso, o policiamento foi reforçado e, a partir de amanhã até quarta (1), 1.700 policiais estarão na praia para fazer rondas e garantir maior segurança.

O iG caminhou pelo calçadão de Copacabana e conferiu os postos móveis da Polícia Militar recebendo os últimos ajustes para a grande festa de Ano Novo. A cada quarteirão, um carro da Guarda Municipal permanece estacionado e, em duplas, policiais fazem rondas na orla. De modo geral (tirando as eventuais exceções), o dia pareceu tranquilo e o turista já sentiu a diferença.

Um grupo de Curitiba confessou que ainda fica com o pé atrás quando sai para caminhar pela cidade, mas que, de fato, sentiu maior segurança nesta vinda ao Rio. “Antes de sair de casa a gente recebeu milhões de recomendações. Todo mundo tem medo de assalto, arrastão, mas é só ficar atento. Não tirar o celular da bolsa toda hora, não sair com muito dinheiro, só com cartão, e etc”, falou Sabrina Sugamosto, de 23 anos. “Uma boa dica também é se fazer de carioca, para não ganhar bolo dos taxistas”, brincou.

O sueco Jonathan Frylen, de 27 anos, chegou ao país sabendo de todos os prós e contras. “Eu estou ciente, por exemplo, que não é aconselhável visitar certos lugares e nem fazer certas coisas, mas estou hospedado em Ipanema, que é um lugar mais seguro, e não vi nada de anormal na cidade”, comentou o turista, que disse estar apenas “sofrendo com o calor” carioca, mas maravilhado com a vista e as montanhas do Rio.

Na Santa Clara, músicos do palco secundário passam o som e turistas aproveitam o batuque
Nina Ramos/iG Rio
Na Santa Clara, músicos do palco secundário passam o som e turistas aproveitam o batuque

Já a carioca Bruna Farina, de 36 anos, atentou para o “relaxamento” de alguns policiais devido ao calor extremo que atingiu a cidade nesta segunda. “Não adianta nada parar um carro em cada esquina e ficar gastando gasolina com quatro agentes aproveitando o ar condicionado do veículo. Precisa fazer a ronda. Hoje mesmo sai de casa e passei por um grupo de jovens e fui perseguida por um. Grudei na minha bolsa e sai andando mais rápido”, relatou. “Que intimida, intimida sim. Mas precisa ser eficaz”, disse.

Beijaço na virada

O Prefeito do Rio, Eduardo Paes, esteve hoje no palco principal da festa, localizado na altura do Hotel Copacabana Palace, e divulgou mais uma novidade para o momento da virada do ano. Um beijaço irá embalar os primeiros minutos dos casais que brindarem a chegada de 2014 em Copacabana. “É uma grande celebração ao amor. Pelo que estou sabendo, vai ser uma coisa inspiradora. É bom estar perto de quem a gente ama, da paixão da vida, dos filhos”, declarou.

Eduardo Paes vê últimos ajustes no palco principal da festa da virada em Copacabana
Nina Ramos/iG Rio
Eduardo Paes vê últimos ajustes no palco principal da festa da virada em Copacabana

Na hora da queima de fogos, o volume do palco será reduzido e estalos de beijos estimularão os cariocas. Além disso, fogos em formato de coração irão estampar o céu de Copacabana. Jaciara Lima, de 37 anos, veio da Bahia pela sétima vez para curtir a festa e gostou da novidade. Assim como a organização do show, a turista adiantou sua vida e já fez hoje sua oferenda para Yemanjá. “Amanhã fica muito cheio. Vou pedir proteção e agradecer por tudo de 2013”, contou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.