"O rapaz disse já ter visto Loanne deitada na cama junto com Joaquim. Ele parecia acreditar que Joaquim teria desejo por ela", afirmou o delegado que investiga caso

Os dois filhos de Joaquim Lourenço da Luz, de 47 anos, encontrado morto ao lado da enteada na cidade de Pirenópolis, em Goiás, prestaram depoimento à polícia na tarde desta quinta-feira (19). Segundo o delegado responsável pela investigação, Rodrigo Luiz Jayme, o rapaz de 24 anos teria dito que pai tinha dinamite em casa e que estranhava a relação do padrasto com Loanne. Já a filha, uma jovem de 25 anos, disse acreditar que o pai possa ter planejado e executado o crime.

Conheça a nova home do Último Segundo

Leia também: Jovem achada morta com padrasto em GO já foi agredida e ameaçada, diz polícia

"O rapaz disse já ter visto Loanne deitada na cama junto com Joaquim. Ele parecia acreditar que Joaquim teria desejo por ela", afirmou o delegado. A Polícia Civil suspeita que Joaquim possa ter armado a cena do crime para que o seu filho recebesse o seguro de vida contratado pelo homem em novembro, no valor de R$ 30 mil.

Mais:  Padrasto e enteada são encontrados mortos acorrentados a árvore em Goiás

A principal linha de investigação do crime é de que Joaquim tenha matado a estudante de enfermagem motivado por ciúmes e se suicidado. A jovem e o padrasto foram encontrados mortos amarrados a uma árvore, no Morro do Frota, na última terça-feira (17). A suspeita é que a causa das mortes tenha sido uma explosão de dinamite.

Segundo o delegado, ontem (19), foi pedido um exame grafotécnico para comparar as grafias da carta anônima que Loanne recebeu no começo do ano com um outro bilhete escrito por Joaquim. "Na carta anônima, um trecho mostra que quem escreveu nutria um sentimento passional pela menina, pois reclamava da mudança que Loanne havia feito no cabelo", disse o delegado Jayme. 

Caso

A estudante e o padrasto teriam ido até o parque na tarde da segunda-feira (16) e não retornaram. A polícia chegou a ser acionada, mas os corpos só foram encontrados na terça-feira (17) por um homem que passava pelo local e acionou os bombeiros.

Os corpos da estudante e do padrasto foram enterrados na manhã da quarta-feira (18), no cemitério de Pirenópolis. Os caixões permaneceram fechados durante todo o velório.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.