Tenor é desencorajado a cantar ópera por não haver "príncipes negros"

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Promessa da música erudita brasileira, Jean William conta que chegou a ter dúvidas sobre o futuro da carreira até descobrir que "a música não tem cor"; assista ao vídeo

BBC

Com apenas 27 anos, o tenor Jean William já subiu em palcos emblemáticos para a música lírica, como o da alla Scala, de Milão, e o do Lincoln Center, de Nova York. Considerado uma promessa da música erudita brasileira, o tenor conta que teve de enfrentar o preconceito no início da carreira por causa da cor da pele.

Conheça a nova home do Último Segundo

Aos 17 anos, ele foi desencorajado por um professor em Ribeirão Preto (SP), onde passou a adolescência, a desistir do sonho de cantar em uma ópera. Segundo o professor, essa seria tarefa árdua já que não existiram "príncipes negros".

Anos depois, o cantor ganhou uma bolsa na Itália e estreou em uma ópera dinamarquesa. Diante do espanto com a escolha, ouviu que não havia nenhuma incongruência no fato de ele encenar o papel de um personagem branco. Para o compositor da peça, "a música não tem cor".

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas