Médicos com diploma estrangeiro começam a atender em unidades básicas de Saúde

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Preparação de 2,1 mil profissionais incluiu três semanas de avaliação por professores de universidades federais e testes de língua portuguesa e sobre protocolos do SUS

Agência Brasil

Após passar por avaliação e por um período de ambientação nos estados onde vão trabalhar, 2,1 mil profissionais com diploma estrangeiro do Programa Mais Médicos iniciam nesta segunda-feira (4) o atendimento em unidades básicas de Saúde. Esse grupo foi avaliado durante três semanas por professores de universidades federais e teve testados os conhecimentos em língua portuguesa e nos protocolos de atenção básica do Sistema Único de Saúde.

Conheça a nova home do Último Segundo

Os profissionais que começam a atuar hoje se juntam aos 1,5 mil médicos da primeira etapa do programa que estão trabalhando em regiões carentes, segundo balanço do Ministério da Saúde.

Esses profissionais da segunda etapa do Mais Médicos tiveram os registros emitidos pelo Ministério da Saúde, conforme previsto em medida provisória aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pela presidente Dilma Rousseff. Inicialmente, essa atribuição era do Conselho Federal de Medicina mas, após polêmica e demora na concessão dos registros, a atribuição foi transferida do órgão de classe, que ficará com a função de fiscalizar o trabalho dos estrangeiros.

Leia também:

Acusados de falsificar diplomas para Mais Médicos serão intimados

"Não é coragem, é dever", diz Dilma ao sancionar lei do Mais Médicos

“A concessão do registro único pelo Ministério da Saúde evitou a polêmica da concessão e tem permitido que os profissionais, assim que concluem o curso e estejam aptos, possam começar a atender a população brasileira de modo que não tenhamos problemas de continuidade no Mais Médicos”, disse o secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, do Ministério da Saúde, Mozart Sales, em entrevista ao programa Brasil em Pauta, da EBC Serviços, na última sexta-feira (1°).

A partir desta segunda, também começam a desembarcar no Brasil mais 3 mil cubanos que vão participar do Mais Médicos. O primeiro grupo, de 2,6 mil médicos, chega até o dia 10 de novembro nas capitais, onde vai cursar o módulo de avaliação do programa. Outros 400 chegam na semana seguinte. A previsão é que eles comecem a atuar nos municípios em dezembro. Os cubanos participam do programa por meio de cooperação firmada entre o Ministério da Saúde e a Organização Pan-Americana de Saúde em agosto de 2013.

Lançado em 8 de julho, o Mais Médicos amplia o número de médicos nas regiões carentes do país. Os profissionais recebem bolsa de R$ 10 mil por mês. Os municípios são responsáveis por garantir alimentação e moradia aos profissionais. Os brasileiros têm prioridade no preenchimento das vagas e as remanescentes são oferecidas aos estrangeiros. De acordo com o secretário Mozart Sales, a partir de dezembro serão reabertas as inscrições para profissionais brasileiros. A estimativa do Ministério da Saúde é que o Programa Mais Médicos chegue ao final de 2013 com mais de 6,6 mil profissionais.

Leia tudo sobre: brasilmais médicossaúde

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas