Tropas reforçam segurança na Barra da Tijuca para leilão de Libra

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Área no entorno do hotel Windsor está isolada; mais de mil homens foram mobilizados para proteger a região

Reprodução/ TV Globo
Barreira de oficiais protege o hotel Windsor

A área do hotel Windsor Barra, na zona oeste do Rio de Janeiro, está isolada na manhã desta segunda-feira (21) para impedir a entrada de manifestantes contra a realização do leilão do Campo de Libra, o primeiro do pré-sal brasileiro e o maior certame de petróleo da História do País. A operação está marcada para as 14h.

Black blocs, petroleiros em greve e movimentos sociais que apoiam a paralisação prometem protestar na região. Uma barreira de oficiais faz a segurança na frente do hotel - ao todo 1,100 homens reforçam a segurança na região, entre militares – do Exército e da Marinha – , policiais federais e estaduais, guardas municipais e funcionários públicos.

Conheça a nova home do Último Segundo

Grades foram colocadas no caminho entre o hotel e a praia. O trânsito está interrompido na região. A área de atuação das forças de segurança está delimitada pelas avenidas Lúcio Costa, Érico Verissímo, Armando Lombardi, Afonso Arinos de Melo Franco e o Canal de Marapendi. Os motoristas que seguem pela Avenida Lúcio Costa em direção à zona sul pela orla precisam fazer o retorno antes de passar pelo hotel. A opção é seguir pela Avenida das Américas. O Comando Militar do Leste (CML) pede aos motoristas que evitem a região.

A patrulha o entorno do hotel Windsor Barra começou neste domingo (20).  As ruas permanecem fechadas até a meia noite desta segunda. 


Leia tudo sobre: campo de librabarra da tijucario de janeiroleilãopré-sal

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas