Manifestantes ocupam Ministério de Minas e Energia

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Grupo exige cancelamento do leilão do Campo de Libra, que pode ser o maior campo de petróleo do mundo

Agência Brasil

Manifestantes ligados à Federação Única dos Petroleiros (FUP) e à Via Campesina ocupam o Ministério de Minas e Energia, na área central de Brasília, desde as 8h desta quinta-feira (17). 

Conheça a nova home do Último Segundo

Eles exigem que o governo federal cancele o leilão do Campo de Libra, marcado para segunda-feira (21). Segundo as entidades organizadoras do protesto, o leilão – daquele que pode ser o maior campo de petróleo do mundo – é um crime de lesa-pátria que põe em risco a soberania nacional.

Antonio Cruz/Agência Brasil
Manifestantes querem cancelar leilão do Campo de Libra

O Ministério de Minas e Energia já pediu na Justiça a reintegração de posse do prédio, localizado na Esplanada dos Ministérios. Enquanto isso, representantes do governo conversam com os manifestantes. Servidores foram dispensados do expediente e o ministro Edison Lobão participa de um evento fora, segundo a assessoria de imprensa.

Na quarta-feira (16), funcionários da Petrobras e subsidiárias decidiram entrar em greve por tempo indeterminado, também em protesto contra o leilão. Segundo a FUP, a categoria exige a suspensão imediata do primeiro leilão do pré-sal, sob o regime de partilha.

Também na quarta, outros manifestantes ocuparam o Ministério da Agricultura e o Ministério da Pesca. Na Agricultura, integrantes do MST, Contag e Via Campesina, entre outros movimentos sociais pretendiam negociar dez pontos apresentados à presidente Dilma Rousseff no início do ano. Na Pesca, Movimento de Pescadores Artesanais queria discutir com ministro Marcelo Crivella o que chama de "privatização das águas" brasileiras.





compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas