Buscas por vítimas de naufrágio no Amapá foram encerradas, diz comandante

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Com visibilidade comprometida, Marinha retomará os trabalhos no domingo pela manhã; mortos chegam a 12

O comandante da Capitania dos Portos de Macapá, Carlos Neves, informou ao iG neste sábado que as buscas por vítimas do naufrágio durante o Círio Fluvial foram encerradas às 18h. "A visibilidade já está comprometida e é perigoso mergulhar nessas condições", explicou. Pelo menos 12 pessoas morreram na ocasião e o número pode aumentar. 

Conheça nova home do Último Segundo
Entenda: Embarcação naufraga durante Círio Fluvial e deixa mortos em Macapá

O trabalho de resgate será retomado no domingo pela manhã. Segundo o oficial, a Marinha continuará as buscas por pelo menos mais 24 horas. Mais de 30 pessoas foram resgatadas com ferimentos. "O último corpo foi resgatado às 17h30 e era uma mulher que ainda não foi reclamada por familiares. Então vamos continuar as buscas". Para Neves, é quase certa a suspeita de superlotação já que é uma prática comum durante as festas do Círio. 

Acidente e investigação

A embarcação tinha capacidade para 40 pessoas e estava regularizada, segundo informações da Capitania dos Portos. "Os tripulantes também estavam com as habilitações em dia. Não sabemos o que aconteceu, havia boas condições para navegar. Não tinha nada para dar errado", defendeu Neves.

Extra Amapá
Barco poderia estar superlotado no Amapá

Centenas de embarcações participam de Círio Fluvial no Pará

Veja imagens das celebrações do dia de Nossa Senhora Aparecida

O barco considerado de porte pequeno saiu de Santana (AP), por volta das 7h30, junto com outros 37 que participaram da procissão que levou a imagem de Nossa Senhora de Nazaré até Macapá. No retorno para Santana, a embarcação virou, às 10h30, em frente a uma região conhecida localmente por Igarapé das Pedrinhas.

Para o comandante o naufrágio deve ter durado menos de cinco minutos, e disse que a maioria da pessoas foi resgatada por embarcações que estavam nas proximidades. "Não vimos o que aconteceu, porque na volta da procissão, não tem um deslocamento ordenado dos barcos, cada um vai para uma direção", explicou. "Foi muito rápido, coisa de menos de cinco minutos".

Neves acrescentou que o corpo do comandante foi encontrado na praça de máquinas da embarcação, compartimento onde estão instaladas as máquinas de propulsão e os seus auxiliares. Segundo ele, o comandante não deveria estar lá, mas sim à frente da embarcação, orientando sua direção.

O inquérito que será realizado pela Capitania dos Portos apontando as causas do acidente tem até 90 dias para ser concluído.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas