Dos 660 registros protocolados por profissionais de outros países para trabalhar no Brasil, só 338 foram concedidos

Agência Estado

Cerca de 50% dos profissionais estrangeiros do Mais Médicos ainda não têm registro para trabalhar. "Esperamos que até o fim da semana tenhamos quase a totalidade dos casos plenamente equacionados, mas não há como ter certeza", afirmou o secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mozart Sales.

Leia também: Governo barra na Justiça processos contra coordenadores do Mais Médicos

Profissionais do programa
Futura Press
Profissionais do programa "Mais Médicos", em Salvador

Pelo cronograma inicial, médicos com diplomas obtidos no Exterior recrutados pelo programa deveriam ter iniciado o trabalho dia 23 de setembro. Até agora, dos 660 registros protocolados, 338 foram concedidos.

O governo agora se mobiliza para tentar evitar que o atraso se repita com os 2.180 profissionais com diploma estrangeiro que participam da segunda etapa do programa. A esperança está concentrada no projeto de conversão da Medida Provisória, que confere ao Ministério da Saúde a responsabilidade pela concessão do registro dos profissionais integrantes do programa.

Para entrar em vigor, a proposta terá ser aprovada no plenário da Câmara (cuja votação está marcada para hoje) e no plenário do Senado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.