No Sul, há risco de temporal acompanhado de queda de raios e ventos fortes. Sudeste e parte do Centro-Oeste têm sol, calor e baixa umidade relativa do ar

Neste último fim de semana do inverno, uma frente fria consegue romper o bloqueio atmosférico que mantinha o tempo firme e seco em parte do Sul do Brasil. Na região da fronteira gaúcha, há risco de temporal acompanhado de queda de raios e ventos fortes.

Veja a previsão do tempo para a sua cidade

No Sudeste e em parte do Centro-Oeste, o fim de semana será de sol, calor e baixa umidade relativa do ar. Em grande parte do Norte e no litoral do Nordeste, áreas de instabilidade espalham nuvens carregadas que provocam chuva a qualquer hora.

Confira abaixo todos os detalhes da previsão do tempo para a sua região, segundo a Climatempo:

Sudeste

Nesta sexta-feira (13), áreas de instabilidade associadas aos ventos úmidos que sopram do oceano espalham muitas nuvens sobre o norte do Rio de Janeiro, leste mineiro e o Espírito Santo. Nestas localidades, o sol ainda aparece em alguns momentos, mas a chuva acontece a qualquer hora. Nas praias capixabas, há risco de chuva forte em alguns momentos. Na Grande Belo Horizonte, no sul de Minas e no Rio de Janeiro, a umidade aumenta, mas que provoca apenas aumento de nuvens. Nas demais localidades, o ar seco mantém o tempo firme, faz calor e não chove. A Climatempo mantém o alerta para níveis baixos de umidade relativa do ar, sendo que algumas localidades podem registrar valores abaixo dos 20%.

No sábado (14) e no domingo (15), os ventos úmidos que sopram do oceano mantem a nebulosidade sobre o centro-leste do Espírito Santo onde chove a qualquer hora. Nas demais localidades capixabas e no Vale do Rio Doce, o sol aparece entre alguma nebulosidade, mas não chove. No sul de Minas Gerais, na zona da mata mineira, no Vale do Paraíba e na serra da Mantiqueira, a disponibilidade de umidade mantém a condição para chuva rápida e isolada. Nas demais localidades do Sudeste do Brasil, o ar seco predomina, faz calor e não chove, inclusive no Rio de Janeiro. A umidade relativa do ar pode ficar baixa nas horas mais quentes, alertam os meteorologistas da Climatempo.

Sul

Nesta sexta-feira (13), após dias de muito sol, calor e tempo seco, uma frente fria consegue romper o bloqueio atmosférico e provoca chuva no centro-sul do Rio Grande do Sul. Por causa do contraste térmico, há risco para fortes pancadas acompanhadas de queda de raios em alguns momentos, alerta a Climatempo. Pelo interior gaúcho e em São Luiz Gonzaga, o sol aparece entre nuvens, mas não chove. Nas demais áreas, inclusive em Porto Alegre, o dia será de sol, calor e baixa umidade relativa do ar. Durante as horas mais quentes, o termômetro passa facilmente dos 30°C em diversas cidades.

No sábado (14), a frente fria provoca chuva na fronteira gaúcha com o Uruguai. A Climatempo alerta para queda de raios, ventania e grandes volumes acumulados. Em São Luiz Gonzaga e pelo interior do estado, o sol aparece entre nuvens, mas que não provocam chuva e tampouco escondem o sol. Nas demais áreas da Região, o ar seco favorece o tempo firme e a rápida elevação da temperatura. A umidade relativa do ar fica baixa e, em algumas localidades, pode chegar a índices abaixo dos 20%, o que caracteriza nível de atenção, segundo o padrão da OMS – Organização Mundial da Saúde.

No domingo (15), a frente fria consegue avançar lentamente pela Região. Na fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai, o dia fica chuvoso com risco de queda de raios e ventos fortes. No centro do estado gaúcho, inclusive na capital a nebulosidade aumenta, mas ainda ocorrem breves aberturas de sol. A chuva ocorre qualquer hora. Nas demais localidades, o dia será marcado por sol, calor e temperatura em rápida elevação. Contudo, até o fim do dia, no norte gaúcho, em Chapecó e em Foz do Iguaçu podem acontecem pancadas de chuva.

Centro-Oeste

Nesta sexta-feira (13), o aumento da umidade relativa do ar no oeste da Região é um indicativo da chegada da nova estação: a Primavera, que se inicia às 17h44, do dia 22 de setembro. Desta forma, no oeste sul-mato-grossense, em Cuiabá e no pantanal do Mato Grosso, o forte aquecimento ajuda a formar nuvens e ocorrem pancadas de chuva de forma isolada e passageira. Nas demais áreas, inclusive em Campo Grande, o ar seco predomina, faz calor e não chove. De acordo com os meteorologistas da Climatempo, os níveis de umidade relativa do ar podem ficar baixos, sendo que, em algumas localidades, os valores ficam abaixo dos 20%. Valor que caracteriza nível de atenção, segundo o padrão da OMS – Organização Mundial da Saúde.

Durante o fim de semana, as condições do tempo praticamente não mudam, no Centro-Oeste do Brasil. No oeste de Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso, a disponibilidade de umidade associado ao aquecimento ajuda a formar nuvens e as pancadas ocorrem em pontos isolados. Nas demais localidades, o ar seco favorece o predomínio de sol e a rápida elevação da temperatura. Com a presença deste sistema, a umidade relativa do ar pode chegar a níveis críticos, principalmente pelo interior dos estados.

Norte

Nesta sexta-feira (13), áreas de instabilidade espalham muitas nuvens que provocam chuva a qualquer hora sobre o norte do Amazonas, sul do Acre, em Rondônia, Amapá e no noroeste do Pará. Pelo interior amazonense, em Cruzeiro do Sul, em Altamira e interior paraense, o calor e alta umidade ajudam a formar nuvens e a chuva está prevista a partir da tarde. Nas demais áreas, o ar seco predomina e mantém baixos níveis de umidade relativa do ar. O termômetro sobe rapidamente em toda a região.

Durante o fim de semana, as áreas de instabilidade ficam concentradas a oeste do Amazonas e no Acre. A Climatempo informa que a chuva acontece a qualquer hora e o sol aparece breve em alguns momentos, mas sempre em meio à nebulosidade. No sudeste do Pará, inclusive em Tucuruí, e no Tocantins, o ar seco predomina e o sol aparece forte. Nas demais localidades, o tempo quente e úmido favorece as pancadas de chuva a partir da tarde, mas de forma rápida e isolada.

Nordeste

Nesta sexta-feira (13), os ventos úmidos que sopram do oceano espalham muitas nuvens sobre o Planalto da Conquista e sobre toda a costa leste nordestina. De acordo com os meteorologistas da Climatempo, a chuva acontece a qualquer hora, mas os maiores volumes ficam concentrados no sul da Bahia. Em Fortaleza, a chuva está prevista a partir da tarde, mas de forma isolada e passageira. Nas demais áreas, o ar seco predomina e mantém o tempo firme, inclusive pelo interior, onde o sol aparece entre algumas nuvens. Com a presença deste sistema, a umidade relativa do ar fica baixa em diversos municípios.

No sábado (14), a instabilidade persiste entre o litoral da Bahia até João Pessoa, na Paraíba. Nestas localidades, a chuva está prevista a qualquer hora, mas com fraca a moderada intensidade. Em Natal, as pancadas de chuva acontecem a partir da tarde. Pelo interior da Bahia e em áreas de agreste e sertão, o sol aparece entre nuvens, mas não chove. Nos demais estados da região, o ar seco mantém o predomínio de sol e a temperatura sobe rapidamente. A umidade relativa do ar fica baixa, alerta a Climatempo.

No domingo (15), a instabilidade se concentra entre Alagoas e Pernambuco, onde a chuva acontece em vários períodos do dia. No litoral da Bahia, na Paraíba e em Natal, os ventos úmidos que sopram do oceano favorecem o aumento de nuvens e, desta forma, a chuva acontece em pontos isolados. Entre o Planalto da Conquista e o interior de Pernambuco, o sol aparece entre algumas nuvens. Nas demais áreas, o ar seco mantém o tempo firme e faz calor.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.