Logo mais, será realizado amistoso entre as seleções brasileira e australiana de futebol

Manifestantes e polícia entraram em confronto em Brasília. A polícia tentou cercá-los, mas eles furaram o bloqueio e agora estão mais próximos do estádio Mané Garrincha, onde ocorrerá, às 16h, o jogo amistoso entre as seleções do Brasil e da Austrália. A polícia dispara bombas de gás lacrimogêneo e efeito moral, além de balas de borracha e spray de pimenta para dispersar o movimento.

Leia também: Desfile no DF tem blindagem de Dilma e público escasso

O conflito ocorre no momento em que os torcedores começam a chegar ao estádio. Pelo menos 15 viaturas da Tropa de Choque, da Cavalaria e policiais com cães estão no local. Um adolescente foi detido pela polícia.

Alguns jornalistas que acompanham o protesto foram feridos pela PM. Um deles, o fotógrafo da agência de noticias Reuters Wesley Marcelino, foi mordido por um cachorro da PM e outro passou mal com o gás e o spray de pimenta jogado contra os manifestantes.

À reportagem do iG, policiais disseram que efetuaram quatro prisões de manifestantes. Após ser imobilizado com spray de pimenta, um estudante, de 17 anos, foi detido ao tentar atravessar a rua.

Mais cedo, os manifestantes atiraram pedras contra o prédio da TV Globo que fica no local e atingiram um carro, mas ninguém se feriu.

Chegada ao estádio

A chegada dos torcedores para o jogo amistoso entre o Brasil e a Austrália ocorre com tranquilidade neste momento, inclusive com a movimentação de famílias com crianças.

O acesso às vias N1 e S1, que formam o Eixo Monumental, em frente ao estádio, está totalmente bloqueado. Os torcedores utilizam os estacionamentos do Parque da Cidade, onde o trânsito está normal, apenas com desvios para evitar o acesso às vias bloqueadas na região.

Inicialmente, 2 mil policiais militares foram destacados para fazer a segurança no entorno do Mané Garrincha. Além deles, também há viaturas da Polícia Civil, do Corpo de Bombeiros, do Detran e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

* Com Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.