Protestos em Brasília ocorrem após desfile oficial em comemoração do Dia da Independência

Os brasilienses estão nas ruas hoje (7) protestando contra a corrupção e pelo fim do voto secreto. A concentração começou cedo, na praça do Museu da República, próxima à Esplanada dos Ministério. De acordo com a Polícia Militar (PM) do Distrito Federal, pelo menos 3 mil pessoas participaram dos protestos nesta manhã em frente ao Congresso Nacional.

Manifestações contra corrupção em Brasília durante desfile de 7 de setembro
AP
Manifestações contra corrupção em Brasília durante desfile de 7 de setembro

As manifestações na capital, convocadas por diversos movimentos por meio de redes sociais, estão programadas para todo o dia. A estimativa é reunir cerca de 50 mil pessoas. Os manifestantes avaliam que o número reduzido de participantes até o momento se deve ao feriado e acreditam que o fluxo deve aumentar.

Leia também: Desfile no Rio é invadido por manifestantes; veja imagens

A PM está com um forte aparato de segurança para evitar que os manifestantes carreguem objetos considerados perigosos. Desde as 7h, os policiais estão revistando as pessoas que seguiam em direção à Esplanada. De acordo com o capitão da PM, Cidjan Brito, poucos objetos foram apreendidos. "A apreensão esta aquém do esperado. Retivemos alguns pedaços de madeira e chaves de fenda", disse Brito.

Desfile oficial

Presidente Dilma Rousseff abriu ato cívico de Brasília com desfile em carro aberto
Reuters
Presidente Dilma Rousseff abriu ato cívico de Brasília com desfile em carro aberto

O desfile de 7 de Setembro na Esplanada dos Ministérios durou pouco mais de uma hora e foi considerado um sucesso pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho. Perguntado sobre a baixa participação popular, ele reconheceu que pode ter havido receio do público com as manifestações anunciadas em redes sociais. Para Carvalho, "houve certo receio e isso pode ter afastado um pouco a população".

Após pouco mais de uma hora, o desfile foi encerrado na capital. Apesar da redução do tempo da tradicional parada militar, o ministro considerou a cerimônia um sucesso. Ele negou que as autoridades tenham se sentido intimidadas com as manifestações programadas para hoje.

Não houve medo nenhum. Eu trouxe meu filho. As pessoas trouxeram a família. Houve um belo desfile cívico”. Gilberto Carvalho justificou a redução do tempo das comemorações da Independência, que normalmente duram cerca de três horas, e a ausência da filha e do neto da presidenta ao fato de Dilma ter chegado na madrugada de hoje da viagem à Rússia – para a cúpula do G-20 – e estar cansada.

A percepção de quem acompanhou o desfile, entretanto, foi diferente. Para o advogado mineiro Antonio Frank Barbosa, que estava de passagem por Brasília, houve baixa participação, o que considera prejudicial à democracia. “Foi um desfile só para militares. Não tinha povo. Não tinha pipoqueiro nem picolé. É a maior prova de que o povo não participou.”

* Com Agência Brasil e AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.