Justiça Federal altera critério para inscrição no Programa Mais Médicos

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Regra do governo federal dizia que país do candidato devia ter índice igual ou superior a 1,8 médico por mil habitantes

Agência Brasil

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) decidiu que 11 médicos estrangeiros graduados no exterior podem participar do processo seletivo do Programa Mais Médicos, do Ministério da Saúde. Os profissionais moram no Brasil e recorreram ao tribunal para garantir direito à inscrição no programa. A decisão foi divulgada nesta segunda-feira (2).

Leia também:
Mais Médicos seleciona apenas 6% da demanda total de profissionais no País
Selecionado pelo Mais Médicos, brasileiro começa a atender no interior de SP

De acordo com o edital, o país de origem do profissional deve ter índice médico/habitante igual ou superior a 1,8 médico por mil habitantes. O dado da Organização Mundial da Saúde (OMS) é usado para evitar que profissionais oriundos de países com menor número de médicos sejam cedidos a outras nações com maior quantidade.

Alan Sampaio / iG Brasília
Médicos também foram importados de Cuba

No recurso apresentado ao TRF, os profissionais alegaram que têm direito à participação no processo seletivo pois não exercem a profissão nos países de origem. O desembargador federal Souza Prudente, relator do processo, concordou com os argumentos apresentados e entendeu que as inscrições de médicos estrangeiros que moram no Brasil não pode ser limitada pelo Ministério da Saúde.

“A almejada participação dos agravantes encontra abrigo na garantia constitucional do direito fundamental e difuso à saúde de todos, não havendo justificativa para a limitação secante da participação dos médicos recorrentes", informou o desembargador.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas