Uso da tecnologia Realtime possibilita que internauta escolha quais notícias são destacadas na homepage

O site Último Segundo está de cara nova. O portal de notícias do iG que nasceu inovador em 2000 como o primeiro canal em tempo real feito especialmente para a internet volta a promover uma revolução, 13 anos depois. O novo site combina o que já tem de melhor – a qualidade, atualidade e velocidade da informação que publica – com a interatividade.

Agora o internauta decide quais notícias são destacadas na homepage que visualiza em sua tela. Isso é possível com a utilização da tecnologia Realtime, que reduz o tempo entre a ação do usuário e a visualização do conteúdo.

Na principal forma de visualização da homepage, as notícias mais acessadas passam a ficar no topo. Conforme o número de leitores, os destaques trocam automaticamente de lugar. Os usuários ainda podem escolher por ver a ordenação de acordo com as notícias mais recentes, mais comentadas e recomendadas para você.

Clique aqui para conhecer a home do Último Segundo

"O novo Último Segundo é uma das maneiras mais inovadoras de consumir conteúdo em tempo real na internet. Ele segmenta a forma com que o usuário pode consumir esta notícia”, explica o CEO e presidente do iG, André Chaves. “Além disso, fazemos uma recomendação de conteúdo de acordo com o perfil de navegação de cada usuário. Ele é um grande dashboard com integração direta com as principais redes sociais. Com isso geramos uma experiência única de consumo de notícias.”

Para o publisher do iG, Tales Faria, as novas ferramentas farão com que os leitores passem a navegar por mais tempo no site. “O novo Último Segundo inaugura uma nova concepção de portais na internet. Caberá ao próprio internauta decidir seu estilo de navegação. Ele terá uma relação mais amigável e dinâmica com os conteúdos que lhe são oferecidos e será incentivado a interagir com outros leitores. Com isso, tenderá a permanecer mais tempo no portal. Até mesmo os espaços publicitários ganharão maior tempo de visualização sem competir com o conteúdo noticioso e com a navegação nas mídias sociais. É praticamente uma revolução”, afirma Faria.

O diretor de Tecnologia e Inovação do iG, Fábio Wakim Trentini, explica que com o Realtime o internauta recebe a informação de uma forma mais moderna e interativa, além de permanecer conectado ao site depois de a página ser carregada.

Um dos principais diferenciais do novo Último Segundo é a opção “Recomendadas para você”, aba de acesso cujo conteúdo é resultado do sistema de recomendação desenvolvido pela equipe de tecnologia do iG. Essa sistema usa informações de comportamento do perfil do internauta para montar a página com as notícias mais relevantes para aquele usuário. “Significa que a ‘Recomendadas para você’ prevê o tipo de notícia que o internauta pode vir a gostar com base no perfil de navegação. Com o tempo, vamos conhecer muito mais o internauta do iG”, diz Trentini.

Notícias
A página de notícias do Último Segundo também está com novo layout, mais moderno, mais limpo visualmente e com maior número de serviços que facilitam a navegação do internauta. De imediato, ele pode ver o número de pessoas que estão lendo a matéria naquele momento e quantos comentários foram feitos. Do lado direito, uma barra de ferramentas estimula a interatividade do internauta com a notícia. São cinco diferentes abas: Comentários, Twitter, Facebook, Relacionadas e Recomendadas.

Interatividade é diferencial do novo Último Segundo
Reprodução
Interatividade é diferencial do novo Último Segundo

Para comentar, o internauta precisa estar logado em uma rede social ou ter um e-mail do iG. Sem delay, ele pode acompanhar os comentários e quem está postando naquele momento.

Na aba Twitter, é possível ver todos os tuítes do perfil do Último Segundo. O mesmo acontece na aba Facebook. Na aba Relacionadas, pode ler reportagens que abordam o mesmo assunto da notícia que está sendo lida no momento.

E, por último, na aba Recomendadas, o internauta pode clicar em notícias escolhidas pelo sistema de recomendação do iG. Aqui entram não só notícias do canal Último Segundo, mas de todos os canais do portal: Gente, Delas, Deles, iGay, Comportamento, os vídeos da TViG e todo o vasto conteúdo oferecido pelo iG.

No fim das notícias, o iG ainda oferece vídeos relacionados àquela notícia que o internauta está lendo, como é feito em todos os canais do portal.

Realtime
A tecnologia Realtime é uma marca patenteada e exclusiva da Internet Business Technologies (IBT), empresa pertencente ao grupo BRZTech, do qual o iG faz parte. Com unidades no Brasil, Estados Unidos, Reino Unido e Portugal, a IBT passou recentemente a ter autorização internacional para prover o serviço sob a marca Realtime, já utilizado no Brasil pelo iG , pelo canal Último Segundo e pelo site do jornal "Brasil Econômico".

Mais do que uma marca ou um aplicativo, a tecnologia Realtime representa hoje o futuro da internet. Para os especialistas, uma legítima tecnologia disruptiva – daquelas que surgem de tempos em tempos para quebrar determinado padrão, mudar a rota do desenvolvimento tecnológico e apontar novos caminhos para a tecnologia, usuários e consumidores.

Algo similar ao que no passado representaram o papel, as armas, os automóveis, a eletricidade e a mídia digital. Trata-se de um impacto forte o suficiente para levar a internet rumo à chamada Web 3.0 .

A tecnologia Realtime permite a redução de tempo entre a ação de um usuário e a visualização dessa interação, eliminando atrasos decorrentes da atualização e publicação de páginas, o que caracteriza o tempo real. Nas enquetes produzidas pelo iG , por exemplo, o leitor pode acompanhar o resultado e medir a mudança de humor dos internautas instantaneamente.

O Realtime permite ainda a comunicação direta entre dois ou mais interlocutores ao mesmo tempo. A tecnologia segura 950 mil conexões ao mesmo tempo – bem acima dos recursos atuais. Mais: tem a vantagem de ser compatível com qualquer versão de todos os navegadores, algo que não ocorre hoje no mundo dos desenvolvedores que utilizam a linguagem HTML5. Vantagem para os internautas e também para empresas e consumidores que usam comércio eletrônico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.