Pela 3ª vez, São Caetano tem o melhor Índice de Desenvolvimento Humano do País

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Nesta edição, o município com pior desempenho, por sua vez, foi Melgaço, no Pará, que tem 24,8 mil habitantes

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e com a Fundação João Pinheiro, divulgou nesta segunda-feira (29) o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) das cidades brasileiras. E, assim como em 1998 (referentes a dados de 1991) e em 2003 (com dados de 2000), São Caetano está no topo da lista, já que município atingiu IDHM de 0,862.

Veja aqui o ranking das cidades brasileiras pelo IDHM

Publicado uma vez a cada dez anos, o indicador traz para o âmbito municipal o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) global, divulgado anualmente pelo PNUD e que mede o desenvolvimento humano dos países. O IDHM, que faz parte do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013, é medido por uma escala que vai de zero a um - quanto mais próximo de um, melhor o desenvolvimento do local.

Nesta edição, o município com pior desempenho, por sua vez, foi Melgaço, no Pará, que tem 24,8 mil habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atingindo IDHM de 0,418. Em 2003, ano em que o último IDHM foi publicado, o município com o pior quadro no Brasil foi Aroeiras do Itaim, no Piauí, com IDHM de 0,208. A paraense Melgaço registrava um IDHM, naquela época, de 0,260. É importante ressaltar que houve alterações no cálculo do IDHM nesta edição, e que os pesquisadores, para comparação com as edições anteriores, recalcularam os valores com base na nova metodologia.

Leia também:
Brasil quase dobra IDH Municipal em 20 anos

Com mais de 180 indicadores para os mais de 5.500 municípios do País, a atual edição do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil também permite uma análise das cidades mais bem colocadas por região. A capital de Tocantins, Palmas, por exemplo, atingiu IDHM de 0,788 e lidera o desenvolvimento humano na Região Norte.

No Nordeste, a ilha de Fernando de Noronha (IDHM de 0,788) é a mais bem colocada, enquanto que a maranhense Fernando Falcão (0,443) ocupa o outro lado da tabela. O ranking no Centro-Oeste é encabeçado por Brasília, com IDHM 0,824, enquanto que a pior pontuação fica com Japorã (MS), com IDHM 0,526.

Os municípios das regiões Sul e Sudeste com maior índice de desenvolvimento são Florianópolis (0,847) e São Caetano do Sul, respectivamente. A outra ponta da tabela é ocupada, nas duas regiões, pela paranaense Doutro Ulysses (0,546) e pela mineira São João das Missões (0,529). A cidade que mais avançou no IDHM nos últimos 10 anos foi Mateiros, no Tocantins. Desde 2000, Mateiros conseguiu um avanço de 0,326 pontos no indicador, passando de 0,281 para 0,607 pontos.

Na comparação entre Unidades da Federação, o IDHM é liderado pelo Distrito Federal, com 0,824. Em seguida, vêm São Paulo (0,783) e Santa Catarina (0,774). Os Estados com o desempenho mais fraco são Alagoas (0,631) e Maranhão (0,639).

Veja abaixo a lista das 50 cidades mais bem colocadas no IDH:

1 º São Caetano do Sul (SP) - 0.862 (IDHM)

2 º Águas de São Pedro (SP) - 0.854 (IDHM)

3 º Florianópolis (SC) - 0.847 (IDHM)

4 º Balneário Camboriú (SC) - 0.845 (IDHM)

4 º Vitória (ES) - 0.845 (IDHM)

6 º Santos (SP) - 0.840 (IDHM)

7 º Niterói (RJ) - 0.837 (IDHM)

8 º Joaçaba (SC) - 0.827 (IDHM)

9 º Brasília (DF) - 0.824 (IDHM)

10 º Curitiba (PR) - 0.823 (IDHM)

11 º Jundiaí (SP) - 0.822  (IDHM)

12 º Valinhos (SP) - 0.819 (IDHM)

13 º Vinhedo (SP) - 0.817 (IDHM)

14 º Santo André (SP) - 0.815 (IDHM)

14 º Araraquara (SP) - 0.815 (IDHM)

16 º Santana de Parnaíba (SP) - 0.814 (IDHM)

17 º Nova Lima (MG) - 0.813 (IDHM)

18 º Ilha Solteira (SP) - 0.812 (IDHM)

19 º Americana (SP) - 0.811 (IDHM)

20 º Belo Horizonte (MG) - 0.810 (IDHM)

21 º São José (SC) - 0.809 (IDHM)

21 º Joinville (SC) - 0.809 (IDHM)

23 º Maringá (PR) - 0.808 (IDHM)

24 º São José dos Campos (SP) - 0.807 (IDHM)

25 º Blumenau (SC) - 0.806 (IDHM)

25 º Presidente Prudente (SP) - 0.806 (IDHM)

25 º Rio Fortuna (SC) - 0.806 (IDHM)

28 º São Paulo (SP) - 0.805 (IDHM)

28 º Assis (SP) - 0.805 (IDHM)

28 º Campinas (SP) - 0.805 (IDHM)

28 º São Bernardo do Campo (SP) - 0.805 (IDHM)

28 º Porto Alegre (RS) - 0.805 (IDHM)

28 º São Carlos (SP) - 0.805 (IDHM)

34 º Rio Claro (SP -) 0.803 (IDHM)

34 º Jaraguá do Sul (SC) - 0.803 (IDHM)

36 º Rio do Sul (SC) - 0.802 (IDHM)

37 º Bauru (SP) - 0.801 (IDHM)

37 º São Miguel do Oeste (SC) - 0.801(IDHM)

37 º Pirassununga (SP) - 0.801 (IDHM)

40 º Concórdia (SC) - 0.800 (IDHM)

40 º Vila Velha (ES) - 0.800 (IDHM)

40 º Taubaté (SP) - 0.800 (IDHM)

40 º Ribeirão Preto (SP) - 0.800 (IDHM)

40 º Botucatu (SP) - 0.800 (IDHM)

45 º Goiânia (GO) - 0.799 (IDHM)

45 º Rio de Janeiro (RJ) - 0.799 (IDHM)

47 º Marília (SP) - 0.798 (IDHM)

47 º Sorocaba (SP) - 0.798 (IDHM)

47 º Guaratinguetá (SP) - 0.798 (IDHM)

50 º São João da Boa Vista (SP) - 0.797 (IDHM)

*Com informações da Agência Estado


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas