Cidades de SC e RS registram neve na madrugada desta segunda-feira

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

A queda de neve é resultado da combinação do frio intenso com a umidade elevada

Agência Estado

Os primeiros flocos de neve do inverno de 2013 foram registrados na madrugada desta segunda-feira (22), em São Joaquim, no Planalto Sul e em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina. O fenômeno durou cerca de 10 minutos na madrugada e nas primeiras horas da manhã, com acúmulo gerando alegria para os milhares de turistas que se deslocaram para a região para testemunhar a precipitação.

A previsão é de que ele venha a se repetir com mais intensidade no decorrer do dia em outras cidades das regiões mais altas do Estado. O primeiro registro de neve foi feito às 04h30 em São Joaquim.

Leia mais sobre o frio no País:
Curitiba registra neve após 38 anos
Neve diminui e fortes geadas atingem municípios do RS; mínima foi de -4,2°C
Recorde: São Paulo tem manhã mais fria do ano

Neve começou a cair na cidade de São Joaquim (SC) às 23h com temperatura a 0°C (27/08). Foto: São Joaquim OnlineSão Joaquim (SC) teve neve pela 7ª vez no interior e 4ª na cidade em menos de um ano (27/08). Foto: Futura PressNeve mudou a paisagem da cidade de São Joaquim (SC) na última madrugada (27/08). Foto: São Joaquim OnlineSão Joaquim (SC) registrou os primeiros flocos de neve nesta manhã de quarta-feira, às 6h. (14/08). Foto: São Joaquim OnlineMínima hoje foi de 0,8°C em São Joaquim (SC); ventos chegam a 80 km/h na região (14/08). Foto: São Joaquim OnlineGeada nesta quinta-feira (25), na cidade de São Francisco de Paula (RS). . Foto: Matheus Piccini/Futura PressGeada atinge a cidade de Curitiba (PR), nesta quarta-feira (24).. Foto: Vagner Rosario/Futura PressGeada na manhã desta quarta-feira (24), em Santana do Livramento (RS). . Foto: Fabian Ribeiro/FuturaPressPedestre enfrenta forte frio no Largo Santa Cecí­lia, em São Paulo, nesta quarta-feira (24).. Foto: Nico Nemer/Futura PressMorro do Cambirela, em São José (SC), amanheceu coberto de neve. Termômetros chegaram a registrar 6°C (23/07). Foto: Futura PressGeada atinge a cidade de Frederico Westphalen (RS), na manhã desta terça-feira (23).. Foto: Jardel da Costa/Futura PressO clima deixou os pastos brancos em Frederico Westphalen (RS). Foto: Jardel da Costa/Futura PressSão Joaquim (SC) voltou a registrar neve na última noite. Gelo mudou o cenário da cidade (22/07). Foto: São Joaquim OnlinePlaca da cidade congelou na noite de segunda-feira após baixas temperaturas no Estado (22/07). Foto: São Joaquim OnlineNeve começa a cair na cidade de Palmas, no Paraná, na noite desta segunda-feira (22/07). Foto: Futura PressNa capital do Paraná, os termômetros chegaram a registrar 3ºC, o que não impediu o treino de soldados. Foto: Vagner Rosario/Futura PressTuristas e moradores passeiam em São Joaquim, em Santa Catarina, que foi a primeira cidade onde houve registro de neve neste inverno.. Foto: Anselmo Nascimento/Mural/Futura PressCarros amanheceram cobertos de neve na cidade de São Joaquim, em Santa Catarina.. Foto: Anselmo Nascimento/Mural/Futura PressBoneco de neve na cidade de São Joaquim, em Santa Catarina.. Foto: Anselmo Nascimento/Mural/Futura PressSenhor fazendo bonequinhos de neve em São Joaquim, em Santa Catarina.. Foto: Anselmo Nascimento/Mural/Futura PressPopulação tirando foto na cidade São Joaquim, em Santa Catarina, que teve o primeiro registro de neve neste inverno.. Foto: Anselmo Nascimento/Mural/Futura PressCidade de São Joaquim, em Santa Catarina, amanheceu com temperaturas negativas nesta segunda-feira (22).. Foto: São Joaquim OnlineSão Joaquim, em Santa Catarina, amanheceu com neve nesta segunda-feira (22).. Foto: São Joaquim OnlinePrimeiro registro de neve do inverno 2013 foi em São Joaquim, Santa Catarina, na madrugada desta segunda-feira (22).. Foto: São Joaquim OnlineSão Joaquim, Santa Catarina. Foto: São Joaquim Online

Meia hora mais tarde, surpreendentemente, os operadores meteorológicos do aeroporto de Chapecó relataram a ocorrência de neve na cidade no momento em que a temperatura era de 3ºC. É raríssimo ocorrer neve em Chapecó. Pinhalzinho e São Miguel do Oeste, na mesma região, também tiveram registros de neve.

A queda de neve ao longo do dia, em áreas de planalto, serras de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e do Paraná, é resultado da combinação do frio intenso com a umidade elevada

Conforme meteorologistas da Climatempo, não estão descartadas as possibilidades de queda de neve na região de Curitiba. A última vez que caiu neve na cidade paranaense foi em 1975. 

No Rio Grande do Sul, pelos menos quatro municípios tiveram registro de neve nesta madrugada. O fenômeno é provocado pela presença de uma massa de ar polar e de uma área de umidade na metade norte do Estado. Também ocorreram fortes geadas na metade sul, região onde não há nebulosidade.

A neve caiu em São José dos Ausentes, Cambará do Sul, Bom Jesus e Lagoa Vermelha enquanto a geada cobriu os campos em Cruz Alta, Bagé, Pelotas, Santa Maria, Encruzilhada do Sul, Santana do Livramento e São Luiz Gonzaga.

Segundo o 8º Distrito de Meteorologia, a temperatura mínima foi de dois graus negativos em Cambará do Sul. O serviço, que é ligado ao Instituto Nacional de Meteorologia, emitiu aviso indicando que persistem as condições para novas quedas de neve nesta terça-feira (23).

Commodities Agrícolas

Segundo a Somar Meteorologia, esta onda de frio no Sul do país não provocou prejuízos às lavouras das principais commodities agrícolas brasileiras.

"Está sendo o dia mais frio do ano em algumas regiões, mas hoje não teve nada para a agricultura das principais commodities", disse o agrometeorologista Marco Antônio dos Santos, da Somar.

A principal lavoura que pode ter prejuízos nos próximos dias é o trigo do Paraná, destacou ele.

"No Paraná, na região oeste, pode haver problemas, porque o trigo está na fase de pendoamento. Temperaturas de 1 grau podem trazer danos."

Segundo técnicos do governo paranaense, cerca de 40%  das lavouras plantadas com o cereal no Paraná --que produz praticamente metade do trigo brasileiro-- estão em fases vulneráveis a baixas temperaturas.

Para o Rio Grande do Sul, outro importante produtor de trigo e onde as lavouras estão em fases iniciais, os riscos são menores.

"No Rio Grande do Sul tem que fazer temperaturas abaixo de zero para dar danos no trigo, por causa da fase de desenvolvimento das lavouras", disse o agrometeorologista.

Café e Cana

Ainda não há registro de prejuízo aos cafezais, mas o frio dos próximos dois dias merece atenção, segundo a Somar.

Na semana passada o café registrou alta na bolsa de Nova York, com preocupações do mercado quanto a uma queda de produção no Brasil --principal produtor e exportador da commodity.

"As temperaturas no norte do Paraná (área com produção de café) estão bastante baixas. Isso pode causar algum dano", disse Santos.

O Paraná responderá por cerca de 4 por cento da produção nacional de café neste ano, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O agrometeorologista afirmou que se o frio for muito intenso ou houver uma eventual geada, o café pode ter que ser colhido de maneira antecipada, prejudicando a qualidade do produto.

"O grão que seria colhido em meados de agosto, pode ter que ser antecipado."

Danos aos cafezais também teriam impacto para as futuras safras, deixando plantas enfraquecidas e com menor capacidade de produção.

Para as áreas de cana do norte do Paraná, sul de São Paulo e de Mato Grosso do Sul, há risco de geadas nas próximas duas madrugadas, mas sem danos significativos.

"Onde houver geada, apenas vai ter que ser antecipada a colheita da cana, não que haverá prejuízos. Depende muito do estágio da lavoura", afirmou o especialista.

*Com Agência Estado e Reuters

Leia tudo sobre: frionevesanta catarinario grande do sulbrasil

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas