Legendas rejeitadas nos protestos de junho participam de ato que reuniu mil pessoas em frente ao Congresso

Partidos políticos alvos de protestos nas manifestações realizadas em Brasília durante o mês de junho ganharam abrigo nesta quinta-feira (11) no Dia Nacional de Lutas, organizado por centrais sindicais em frente ao Congresso.

Assista ao vídeo: PSTU é hostilizado por manifestantes em Brasília

Manifestantes da CUT se reúnem em frente ao Congresso no Dia Nacional de Lutas
Alan Sampaio / iG Brasília
Manifestantes da CUT se reúnem em frente ao Congresso no Dia Nacional de Lutas

O ato recebeu bandeiras do PT, PCB, PSOL e PSTU durante a caminhada que reuniu cerca de mil pessoas na capital federal, segundo a Polícia Militar.

A estudante de relações internacionais da Universidade de Brasília (UnB), Bruna Bezerra, de 23 anos, foi hostilizada em manifestações anteriores ao tentar levantar a bandeira do PSTU.

Integrante do partido socialista há um ano, ela comemorou o espaço aberto pelas centrais. “De início ( em atos anteriores em que foi hostilizada ), as pessoas não tinham o costume com as manifestações”, diz. “Fora a agressão à expressão democrática, não sofri agressão física”, ressalta.

Veja o depoimento de Bruna ao iG:

Pouco antes das centrais puxarem a caminhada pela Esplanada dos Ministérios, um pequeno grupo de integrantes da Marcha do Vinagre apareceu na concentração realizada no Museu da Repúbica, mas desistiu de acompanhar a manifestação.

O ato, contudo, recebeu integrantes de movimentos LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais), contrários à permanência do deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara.

As centrais protestaram contra o projeto de lei 4330/2004, do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO). O projeto regulamenta o trabalho terceirizado e, na avaliação das centrais, coloca em risco os direitos trabalhistas.

A pauta de reivindicações incluiu o pedido de rejeição pela Câmara da proposta de emenda à Constituição (PEC 215/200) que permite a revisão da demarcação de terras indígenas e quilombolas – o projeto é apontado como ação da bancada ruralista para avanço do agronegócio em áreas preservadas.

Veja imagens do Dia Nacional de Lutas em Brasília:

O pedido de aplicação de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) na educação também ganhou coro no ato do Dia Nacional de Lutas em Brasília. A manifestação acabou em frente ao gramado do Congresso, com alguns manifestantes ocupando o especo d’água na casa legislativa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.