Centrais sindicais fazem greves e protestos pelo Brasil nesta quinta-feira

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Protestos devem parar capitais. Avenidas de SP começarão a ter manifestações a partir das 5h; programe-se

As centrais sindicais farão uma série de greves e manifestações com o objetivo de parar o Brasil nesta quinta-feira (11), no Dia Nacional de Lutas. Segundo entidades que representam diversas categorias de trabalhadores, os protestos contarão com o apoio de movimento sociais e deverão acontecer em todos os Estados, em centenas de cidades do País.

Em São Paulo, no alvo das greves e paralisações que deverão acontecer por toda capital estão vias estratégicas da região metropolitana, como a Marginal Tietê, avenida do Estado, a Jacu-pêssego e a Radial Leste, e as rodovias Anchieta, Anhanguera, Bandeirantes, Castelo Branco, Raposo Tavares, Fernão Dias, Dutra e Mogi-Bertioga. Todas devem ter o trânsito interrompido já pela manhã, a partir das 5h.

Marcelo Camargo/ABr
Paulistanos assistem a shows e atos políticos em evento organizado pela Força Sindical para comemorar o Dia do Trabalho, em maio

“Os ativistas sindicais de metalúrgicas e outros setores que trabalham ao redor vão fazer paralizações em volta (das principais vias de São Paulo). São mais de trinta setores que vão parar, só na capital”, diz João Carlos Gonçalves, o Juruna, secretário-geral da Força Sindical.

A proposta da paralização simultânea é parar as capitais para defender a pauta dos sindicatos unidos em torno da Força, que inclui o fim do fator previdenciário, a redução da jornada semanal, reajuste para os aposentados, entre outras reinvindicações. Mais de 60 sindicatos, de categorias como metalúrgicos, químicos, construção civil, construção pesada, costureiras, transporte, alimentação, borracheiros, telefônicos, servidores públicos, gráficos e comerciários prometem aderir a greve. 

São Paulo

Os protestos sairão de diversos pontos da cidade para se unirem no ato principal na av. Paulista, no vão livre do Masp, ao meio dia. Paulinho, presidente da Força, disse manter um diálogo com a Secretaria de Segurança de São Paulo para evitar transtornos para a população e permitir um acompanhamento da Polícia Militar (PM) dos protestos.

Cidades da Grande são Paulo como Guarulhos, Osasco, Santo André e São Caetano também prometem ser palco de manifestações. No interior, haverá manifestações e greves em Barretos, Marília, Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto, Franca, Santos, Sorocaba, São José dos Campos, Lorena, Araçatuba, além de outras cidades. O Porto de Santos não irá funcionar, em protesto contra as mudanças no setor portuário, aplicadas com a aprovação da Medida Provisória (MP) dos Portos.

Bancos e Transporte

O presidente do sindicato dos motoristas de ônibus da capital declarou que apoia a o Dia Nacional de Lutas, mas que os ônibus irão funcionar normalmente, ao contrário de hoje, quando membros da chapa de oposição do sindicato fecharam terminais de ônibus na capital. Em nota, Isao Hosogi, o Jorginho, atribuiu a paralização dos terminais hoje como “terror eleitoral” de autoria da chapa de oposição do sindicato.

Os metroviários também decidiram por apoiar a greve, mas ainda irão definir hoje, em assembleia marcada para às 18h, como será a paralização dos trens da capital.

As agências bancárias da região da Avenida Paulista não irão abrir nesta quinta-feira, em apoio aos protestos. O sindicato convoca os bancários para o ato principal da Força, no vão do Masp.

Veja a agenda de manifestações no Brasil:

São Paulo:

Capital:
5h30 - Concentração dos metalúrgicos na rua Eng. Francisco Pitta Brito, 138, Santo Amaro;

6h30 - Passeata pela Av. Nações Unidas, até a Ponte do Socorro, Santo Amaro;

10h - Concentração do sindicato dos Comerciários na rua Carlos de Souza Nazaré com a Av. Prestes Maia, no centro. Os manifestantes seguirão em passeata pela rua Carlos de Souza Nazaré, rua 25 de Março, rua General Carneiro, rua 15 de Novembro, Largo do Café, av. São João, Vale do Anhangabaú, av. 9 de Julho, rua Engenheiro Monlevad, rua Plínio Figueiredo, até o vão do Masp.

10h30 - Concentração de trabalhadores da construção civil na Ponte Estaiada, Marginal Pinheiros;

12h00 - Ato no Masp, avenida Paulista;

14h30 - Passeata da avenida Paulista até a Praça Ramos, centro de São Paulo.

Santos:
7h -  Paralisação parcial das operações no porto de Santos.

Rio de Janeiro:

Capital:
15h - Concentração de metroviários, bancários, estivadores, químicos, metalúrgicos e professores na Cinelândia, centro.

Volta Redonda e Resende:
Interdição da rodovia Presidente Dutra na parte da manhã.

Brasília:

9h - Concentração na Catedral de Brasília em seguida haverá uma passeata até o Congresso Nacional.

Minas Gerais:

Belo Horizonte:
8h - A partir das 8 horas haverá uma concentração na Praça 7, centro.

Ipatinga:
6h - Interdição da BR 381.

Espírito Santo:

Vitória:
7h - Concentração na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Rio Grande do Sul

Porto Alegre:
Greve deixará a capital gaúcha sem circulação de ônibus

8h - Quatro caminhadas sairão de diferentes pontos em Porto Alegre na Avenida Farrapos, Terminal Cairú, Terminal Princesa Isabel , Avenida João Pessoa, Rodoviária Municipal e Viaduto Obirici.

16h - Concentração em frente à prefeitura.

Santa Catarina

Florianópolis:
13h - Concentração na Praça Tancredo Neves, seguindo em passeata pelo centro.

Criciúma:
12h30 - Concentração no trevo da Br 101 seguinte em passeata rumo a ponte de Laguna.

Itajaí:
13h - Concentração no Posto Santa Rosa (BR 101) trevo do Bairro Cordeiros.

15h - Paralisação da BR 101.

Chapecó:
13h - Concentraçoes em 4 pontos, na Av. Atilio Fontana, Rótulo do acesso a BR 282 com o acesso a Leopoldo Sander, frente ao Hospital Regional do Oeste e Bairro Palmital, que seguem em passeata para a Praça Coronel Bertaso. 

17h - Ato na Praça Coronel Bertaso.

Paraná

Curitiba:
8h - Manifestações nas BR 277 e a BR 376, na região de Curitiba.

16h - Concentração na Praça Rui Barbosa, no centro.

Bahia

Salvador: 
11h - Concentração no Campo Grande, no centro. Trabalhadores pretendem entregar pauta trabalhista para o prefeito e ao governador.

Interior:
Manifestações em Alagoinhas, Brumado, Caetité, Jequié, Ilhéus, Camaçari, Nazaré, São Roque e Itabuna.

Pernambuco

Recife:
Haverá paralisação das obras do PAC na região. Cerca de 55 mil trabalhadores na região de Suape e Ipojuca que irão cruzar os braços e vão parar a BR 40.

Ceará

Fortaleza:
9h - Concentrarão na Praça do Ferreira e seguem em passeata pelas ruas da cidade. Categorias confirmadas: construção civil, construção pesada, polícia civil e polícia federal.

Rio Grande do Norte

Natal:
Concentração de trabalhadores da construção civil na Beira Mar e depois fecharão a ponte Newton Navarro (Ponte de Todos).

Sergipe

Aracaju:
14h - Ato na Praça Tobias Barreto.

Alagoas

Maceió:
14h - Concentração na Praça Centenário. Depois os trabalhadores percorrão as ruas de Maceió, passando pela Praça dos Martírios (Palácio Museu Governo de Alagoas), Praça Deodoro (Tribunal de Justiça de Alagoas), Praça D. Pedro II (Assembleia Legislativa de Alagoas) e finalizando na Praça Centenário.

Amazonas

Manaus:
7h - Paralização do parque industrial e seguem em passeata.

Goiás

Catalão e Anapólis:
7h - Concentração de metalúrgicos, trabalhadores em minérios, costureiras, em transporte, construção civil e comércio na BR 050.

Mato Grosso do Sul

Campo Grande:
9h - Ato na Praça do Rádio, depois passeata pelas ruas da cidade

Mato Grosso

Cuiabá:
16h - Concentração na Praça 8 de abril, seguida por caminhada até a sede da Prefeitura.

Pará

Belém:
8h - Concentração em frente da Prefeitura de Belém, cidade velha. Após, ato entrega de pauta ao prefeito. Haverá também passeata até o Centro Integrado do Governo.

Leia tudo sobre: sindicatosDia Nacional de LutaGreveForça Sindical

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas