Dilma diz que bloqueios de rodovias federais ferem ordem do país

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

A presidente diferenciou os bloqueios feitos pelos caminhoneiros das manifestações feitas pela população

Agência Brasil

A presidente Dilma Rosseff disse nesta quarta-feira (3) que as interrupções de rodovias federais por caminhoneiros nos últimos dias ferem a ordem do país. Segundo ela, o governo não concorda com qualquer processo que provoque turbulência nas atividades produtivas do país e na vida da população.

Leia também: 'Quem destruiu pedágio será preso', diz Alckmin em São Paulo

“Meu governo não ficará quieto durante o processo de interrupção de rodovias. Ordem significa democracia, respeito às condições da produção e de circulação da população. Não tenham dúvidas que o governo não negocia isso, não concordamos com processos que levem a qualquer turbulência nas atividades produtivas e na vida das pessoas”, disse. Ela discursou na cerimônia de assinatura do primeiro anúncio público de terminais de uso privado (TUPs), no Palácio do Planalto.

Mais: No terceiro dia de protestos, caminhoneiros bloqueiam rodovias em cinco Estados

A presidente mencionou a expressão “Ordem e Progresso” da bandeira do Brasil para dizer que ordem significa democracia. Dilma disse haver diferença entre bloqueios de caminhoneiros e das manifestações feitas pela população nas ruas das cidades nos últimos dias. “Uma coisa são manifestações pacíficas que muito engrandecem o país, outra muito diferente é acreditar que o país possa viver sem normalidade e estabilidade”.

Nos últimos dias caminhoneiros em protestos interditam, total ou parcialmente, rodovias federais no país. Hoje, trechos de rodovias que cortam estados da região Sul foram bloqueadas. Na última terça-feira (2), segundo balanço nacional divulgado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) sete estados tiveram estradas bloqueadas.

Leia tudo sobre: dilmapresidenteprotestocaminhoneiros

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas