Em Brasília, polícia monitora cerca de 50 ‘laranjas podres’ em manifestação

Por Wilson Lima - iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

PM do DF montou operação com cerca de 3,5 mil homens, orientados a só usar força em caso de necessidade; suspeitos de depredar patrimônio são acompanhados de perto

Durante os protestos desta quinta-feira em Brasília, a Polícia Militar do Distrito Federal vai monitorar um grupo de aproximadamente 50 pessoas suspeitas de terem incitado a depredação de prédios públicos nas três manifestações ocorridas anteriormente na capital federal.

Segundo militares ouvidos pelo iG, essas 50 pessoas, chamadas pelos próprios policiais de “laranjas podres”, fazem parte de três “tribos”. O nome destas tribos é guardado em sigilo para evitar desgastes desnecessários com os demais manifestantes. A PM espera que, durante os protestos, os manifestantes convençam essas suspeitos a evitar depredações ou ato de vandalismo.

Leia mais: Protesto ‘Acorda, Brasília’ pode reunir 15 mil e tem efetivo de 3,5 mil PMs

Protesto na segunda: Mais de 5 mil protestam no DF e invadem o Congresso Nacional

Se esse grupo partir para atos de vandalismo, a PM já tem um plano de ação que prevê a prisão dos membros pegos em flagrante. Nos protestos em Brasília, foram destacados aproximadamente 3,5 mil policiais militares. Mas esse contingente somente será utilizado caso realmente a expectativa de presença de 50 mil pessoas seja confirmada. A PM programou a adoção de um contingente de um policial para cada 10 a 15 manifestantes.

O Plano de Ação da PM para essa manifestação em Brasília, a princípio, prevê apenas o acompanhamento dos manifestantes. Eles estão proibidos de invadir o espelho d’água do Congresso Nacional ou subir nas dependências da Casa Legislativa, como ocorreu na segunda-feira passada.

Leia mais sobre os protestos do fim de semana no DF:

'Sou do rock e vim protestar', diz manifestante

Veja como foi a ação da Polícia Militar contra os manifestantes

PM usa bomba de gás e bala de borracha contra protesto em frente a estádio

O gerenciamento de crise da PM, coordenado pelo coronel Amorim, tem cinco níveis de atuação. Se houver incitação da violência, cresce esse nível de atuação da PM. O nível dois, por exemplo, prevê a dispersão de manifestantes com o uso de cães; o nível três, o uso da cavalaria e o nível cinco, o extremo, a adoção de homens do Batalhão de Missões Especiais da Polícia Militar do DF. Nesses casos, são usados gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral.

Foram deslocados 80 homens da calaria, mas a PM não informou o número de policiais do Batalhão de Missões Especiais envolvidos nessa operação. Esses homens estão alocados em um posto avançado e podem chegar ao local das manifestações em um tempo máximo de três minutos.

“As manifestações daqui tem um caráter diferente do que ocorreram em São Paulo. Além disso, não queremos utilizar a força. Há policiais aqui pais de família e alguns até que tem filhos nessa manifestação. É desgastante para a polícia intervir de forma mais incisiva”, disse o sargento Daniel Quezado. “O nosso trabalho é garantir que todos exerçam a sua cidadania”, completou o tenente coronel Zilfrank Autelo.

Veja imagens do protesto em Brasília na segunda-feira

Manifestantes furam o bloqueio policial sobem a rampa do Congresso Nacional e chegam ao teto do Senado Federal. Foto: Agência BrasilManifestantes furam o bloqueio da polícia e chegam ao topo do Congresso Nacional. Foto: Agência BrasilManifestantes protestam em frente ao Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaManifestantes chegam ao topo do Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG BrasíliaMais de 5 mil protestaram em Brasília e marcharam até o Congresso Nacional. Foto: Nivaldo Souza/iG Brasília


Leia tudo sobre: manifestaçãobrasília

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas