Índio é assassinado em Paranhos, no Mato Grosso do Sul

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Polícia ainda não sabe se o crime tem relação com os conflitos entre indígenas e fazendeiros No fim do mês de maio, um outro índio morreu durante reintegração de posse no Estado

Um indígena foi morto na manhã desta quarta-feira (12) em Paranhos, cidade localizada a 470 quilômetros da capital Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, de acordo com informações da Delegacia de Sete Quedas, onde fica o delegado Rinaldo Moreira, responsável pela região.

O homem, que teria 34 anos, foi assassinado quando estava a caminho de receber um dinheiro, segundo um funcionário de plantão. A polícia ainda não sabe se o crime tem relação com os conflitos entre índios e fazendeiros que acontece no Estado.

Entenda o conflito:
Índio morre em confronto com policiais em Mato Grosso do Sul
Índios aceitam Força Nacional em área de conflito no Mato Grosso do Sul
Relatório mostra que conflito de terras indígenas no MS remonta aos anos 1950

No fim de mês de maio, um índio terena também foi morto na cidade de Sidrolândia (MS), a 60 quilômetros da capital, durante uma ação de reintegração de posse de duas fazendas.

Reivindicação dos índios

Os índios reivindicam a área de 17,2 mil hectares (um hectare corresponde a 10 mil metros quadrados, o equivalente a um campo de futebol oficial) como território tradicional em um processo que dura 13 anos. Em 2004, a Justiça Federal declarou que as terras pertenciam aos produtores rurais.

A Funai e o Ministério Público Federal recorreram. Em 2006, o TRF declarou a área como de ocupação indígena. A Terra Indígena Buriti foi reconhecida em 2010 pelo Ministério da Justiça como de posse permanente dos terena. Mas a portaria, publicada no Diário Oficial da União, ainda não foi homologada pela Presidência da República. Os produtores rurais recorreram e conseguiram decisão favorável em junho de 2012.

Leia tudo sobre: índioreintegração de posseindígenamorto

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas