Cardozo diz que boatos sobre Bolsa Família podem ter sido orquestrados

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo ministro, a PF está investigando o caso com “absoluta prioridade”. "Chama atenção porque tivemos a eclosão com uma velocidade espantosa", completou o ministro

Agência Brasil

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta terça-feira (21) que a velocidade com que os boatos sobre o fim do Bolsa Família se espalhou levanta a suspeita de que a ação possa ter sido “orquestrada”.

Leia também: Governo vai monitorar saques do Bolsa Família nos fins de semana, diz ministra

Futura Press
Clientes se aglomeram na frente de uma agência da Caixa em Nova Iguaçu, RJ

“Isso chama a atenção porque tivemos a eclosão [dos boatos] em vários pontos diferentes do território nacional e com uma velocidade espantosa. Não podemos afastar a hipótese de ter havido orquestração desses boatos sabe-se lá porque razão. Evidentemente houve uma ação de muita sintonia, mas isso nos leva a cogitar essa hipótese”, disse ao acrescentar que haverá rigor nas punições, embora ainda não seja possível identificar quais delitos foram cometidos.

Quanto à possibilidade de motivação política para a divulgação dos boatos, Cardozo disse que ainda é cedo para qualquer posicionamento. “Seria leviano da minha parte, enquanto ministro da Justiça, falar sobre isso enquanto a apuração não for concluída”, destacou.

Fim de semana do boato: Mais de R$ 150 milhões do Bolsa-Família foram sacados
Reação: 'É absurdamente desumano', diz Dilma sobre boato de fim do Bolsa Família
Maria do Rosário: Ministra culpa oposição por boatos sobre suspensão do Bolsa Família
Oposição chama de ‘leviana’ acusação de ministra sobre boatos do Bolsa Família

Segundo ele, a PF está investigando o caso com “absoluta prioridade”. “Ações como essa mostram um profundo descompromisso com o interesse público e com o país”.

A informação falsa de que só seria possível sacar o benefício até sábado (18) levou muitas pessoas às agências da Caixa Econômica Federal e dos Correios.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas