Recomeça júri sobre a morte de PC Farias e Suzana Marcolino em Alagoas

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Irmão de PC Farias, Augusto César Cavalcante Farias, ja foi ouvido nesta terça-feira. Julgamento deve terminar nesta semana

Agência Brasil

Recomeçou por volta das 8h30 da manhã desta terça-feira, em Maceió (AL), o julgamento de quatro acusados de envolvimento no assassinato de Paulo César Farias, conhecido como PC Farias, e da namorada, Suzana Marcolino, em 1996. Já foram ouvidos as testemunhas Milane Valente, ex-namorada do irmão de PC Farias, Augusto César Cavalcante Farias, e o prórpio irmão da vítima. 

Testemunha: 'O que não tem utilidade a gente joga fora', diz homem que limpou quarto de PC
No Fórum: Irmã de Suzana Marcolino não acredita em tese de crime passional
Mais: Mansões de PC Farias viram pontos turísticos em Alagoas

Itawi Albuquerque/Futura Press
Os quatro acusados da morte de PC Farias e Suzana Marcolino, durante julgamento nesta segunda-feira, em Maceió

Devem depor ainda o vigia da casa onde ocorreu o crime, Manuel Alfredo da Silva e uma namorada anterior de PC Farias, Cláudia Dantas Buarque de Holanda. Todas as testemunhas são de acusação.

De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal de Júri de Maceió, a previsão é de que o julgamento prossiga até as 21h, uma hora a mais do que nesta segunda-feira (6), por determinação do juiz Maurício Breda, da 8ª Vara Criminal. Ao longo de todo julgamento, que deve terminar na sexta-feira (10), serão ouvidas 25 testemunhas, entre acusação e defesa.

Os réus são Adeildo Costa dos Santos, Reinaldo Correia de Lima Filho, Josemar Faustino dos Santos e José Geraldo da Silva, policiais militares que trabalhavam como seguranças de PC. O Ministério Público pede a condenação dos quatro por homicídio qualificado. Segundo a tese do promotor Marcos Mousinho, os quatro participaram do crime, no mínimo, por omissão, uma vez que deveriam garantir a integridade do empresário.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas