Malhação de Judas: Feliciano é um dos lembrados

Por Agência Estado | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Rito tradicional do Sábado de Aleluia que acontece em várias cidades ganha conotações políticas e lembra da polêmica na Comissão de Direitos Humanos da Câmara

Agência Estado

Futura Press
Crianças participam da Malhação de Judas neste Sábado de Aleluia no bairro do Cambuci

O deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, e os "mensaleiros" foram alguns dos personagens mais lembrados na malhação de Judas, tradição comum entre a comunidade católica. Realizado ao meio-dia nas diversas partes do País, o evento acontece no sábado de Aleluia e lembra a morte de Judas Iscariotes, o traidor de Jesus Cristo.

Veja imagens das celebrações da Páscoa no Brasil e no mundo

Em Franca, no interior paulista, houve malhação de Judas em vários bairros. Na rua General Carneiro, área central da cidade, a atividade ocorre há 58 anos. Tomás Tardivo, de 85 anos, criou a brincadeira no local e desde então muita gente se aglomera para malhar o boneco que depois explode.

Feliciano apaga fotos do Instagram e desabafa no Twitter

Futura Press
Boneco de Judas aludindo ao pastor Marco Feliciano, na zona norte da capital

No tradicional "testamento", o Judas deixou este ano os seus restos para políticos famosos, como Feliciano, os petistas José Dirceu e José Genoino - condenados no processo do "mensalão" - e até a presidente Dilma Rousseff. "A gente sempre cita os políticos porque são eles que fazem o povo passar muita raiva", explica Tardivo.

Segundo ele, os mensaleiros deixaram o povo indignado e a polêmica envolvendo Feliciano voltou a mexer com a paciência das pessoas. O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara tem sido alvo de protestos por ter feito declarações consideradas por muitas pessoas racistas e homofóbicas.

"Não poderíamos deixar passar despercebidos esses figurões", afirmou Tardivo. Ele confeccionou o boneco com roupas e artefatos doados por moradores da cidade, que aplaudiram a destruição do Judas.

Leia tudo sobre: páscoajudasmarco felicianoigay

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas