Disque-denúncia para casos de racismo é lançado no Distrito Federal

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Inédito no País, serviço busca proteger os direitos das populações negra, indígena, quilomba e cigana. Atendimento pelo telefone 156 opção 7 funcionará diariamente, das 7h às 19h

Agência Brasil

Às vésperas do Dia Internacional de Luta Contra a Discriminação Racial, a Secretaria Especial da Promoção da Igualdade Racial do Distrito Federal (Sepir/DF) lançou nesta quarta-feira o Disque Racismo. O serviço público vai receber, acolher e acompanhar denúncias de caráter discriminatório étnico-raciais ocorridas no DF, além de oferecer assistências psicológica e jurídica às vítimas.

Mais: Número de denúncias de violações contra idosos aumenta quase 200% em 2012

Abuso de força policial: Brasil é denunciado na ONU por violar direitos humanos

Inédito no Brasil, o Disque Racismo é um serviço de proteção aos direitos das populações negra, indígena, quilombola, cigana e ribeirinha, e de zelo e manutenção das religiões de matrizes africanas. Segundo o secretário da Sepir, Viridiano Custódio Negrito, “os negros e pardos correspondem a 54% da população do DF. Com a iniciativa, o Distrito Federal se torna a primeira unidade da federação livre do racismo”.

Para o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, a iniciativa “servirá de mecanismo de articulação de políticas e diretrizes da promoção da igualdade e direitos”. Agnelo disse ainda que Brasília não tem espaço para o racismo “queremos tolerância zero ao racismo e a qualquer discriminação. Brasília é um lugar que agrega todos os povos do Brasil”.

Segundo a ministra-chefe da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do governo federal, Luiza Bairros “a existência do Disque Racismo é uma afirmação do GDF para a população negra do DF de que nós temos direitos nessa sociedade e nós temos e podemos fazer valer esses direitos”.

O atendimento pelo telefone 156 opção 7, vai funcionar diariamente, das 7h às 19h. Em outros horários, a denúncia poderá ser feita pelo e-mail ouvidoriaracial.sepirdf@gmail.com. A vítima vai receber orientações para registrar um boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia com uma testemunha.

Leia tudo sobre: racismobrasíliadistrito federaldisque-denúncia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas