Dilma diz que pessoas precisam de condições para deixar áreas de risco

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Declaração da presidente foi dada um dia depois de defender "medidas um pouco mais drásticas" para impedir ocupação de áreas críticas no País

Agência Brasil

Agência Brasil
A presidente Dilma Rousseff

A presidente Dilma Rousseff apelou nesta terça-feira para que as pessoas evitem construir em áreas de risco como forma de reduzir a sequência de desastres naturais no país. Um dia depois de defender “medidas um pouco mais drásticas” para impedir a ocupação desses locais, a presidenta voltou ao tema e disse que é necessário dar condições às pessoas para que deixem as regiões de risco.

Mais: Dilma defende medidas mais drásticas para tirar pessoas das áreas de risco

"Não pode construir. Não pode deixar construir. E, em uma questão [situação] de emergência, a pessoa tem que sair. Tem que ter essa consciência”, disse Dilma, depois de participar da missa que marcou o começo do pontificado do papa Francisco.

Segundo a presidenta, é fundamental oferecer condições para as famílias deixarem os locais onde vivem. “A pessoa que estiver morando na zona de risco, a gente tem que oferecer condições para ela sair. Nós já fizemos isso em vários outros lugares, mas sempre há pessoas que resistem. Então, há que ter essa atitude”, ressaltou.

Rio de Janeiro: Número de mortos em Petrópolis chega a 17
São Paulo: Trânsito na Rio-Santos é liberado; litoral tem desabrigados

Dilma elogiou o trabalho da imprensa na divulgação de informações e no alerta aos moradores de áreas de risco. “O trabalho de vocês [imprensa] é muito importante. Quando vocês anunciam, fazem a cobertura, fica claro que corre risco. [Também] fica claro que corre risco de morte, não só a família, mas também as pessoas que vão lá avisar”, disse ela.

Leia tudo sobre: dilma rousseffáreas de riscoalagamentosenchentes

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas