Secretaria de Saúde do DF investiga falta de médicos em hospitais públicos

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Três profissionais não compareceram ao trabalho em hospitais de Samambaia e de Ceilândia. Pacientes voltaram para casa sem atendimento por causa das faltas

Agência Brasil

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (DF) investiga os médicos que faltaram ao trabalho no último fim de semana e provocaram revolta entre os usuários do sistema. No total, três profissionais não compareceram ao trabalho, dois do Hospital Regional de Samambaia e um do Hospital Regional de Ceilândia. Pacientes voltaram para casa sem atendimento por causa dos médicos que faltaram ao plantão.

No Rio: Médico que faltou a plantão em que menina morreu é indiciado pela polícia

De acordo com a Secretaria de Saúde, os médicos têm até quinta-feira (10) para apresentar justificativa da falta. Caso não apresentem, os médicos serão penalizados, podendo até ser exonerados do cargo. A secretaria já abriu sindicância para investigar o caso, com previsão de 15 a 20 dias para chegar a um resultado.

Dos 18 hospitais públicos do DF, cinco restringiram o atendimento devido à sobrecarga de pacientes. Para o primeiro secretário do Conselho Regional de Medicina (CRM) do DF, Dimitri Gabriel Homar, os principais problemas dos hospitais públicos do DF são a falta de médicos e a falta de gestão. "Os hospitais precisariam ter o dobro dos médicos que têm hoje para funcionar satisfatoriamente", disse.

De acordo com Homar, os hospitais do DF não oferecem condições dignas para os médicos exercerem a profissão. "Faltam remédios e roupa de cama. Além disso, o salário dos médicos é baixo", argumentou. Uma avaliação feita pelo CRM do DF, junto com outras entidades de profissionais de saúde, foi entregue à secretaria de saúde do DF em novembro de 2012 e já apresentava a situação precária dos hospitais.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas