Balanço divulgado pela Polícia Rodoviária Federal aponta menos ocorrências que no mesmo período do ano passado

Agência Estado

O feriado prolongado deste último réveillon teve menos violência no trânsito que em igual período de um ano atrás. Balanço divulgado nesta quinta-feira pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) aponta quedas de 28% no número de feridos, 24% na quantidade de acidentes e 12% no número de mortes. Os dados referem-se às estradas federais. Durante o réveillon, foram fiscalizados mais de 131 mil veículos, lavradas 36.279 autuações, recolhidas 945 carteiras de habilitação e retidos 1.717 veículos.

Leia também: Número de mortes nas estradas paulistas cai 44% no Natal

Segundo a PRF, houve reduções tanto em números absolutos de casos registrados quanto nos índices proporcionais em relação à frota. No réveillon 2011/2012 foram 3.481 registros de acidentes (49 por milhão de veículos), ante 2.842 registros (37 por milhão de veículos) nesta última virada de ano. A quantidade de feridos foi de 2.195 no réveillon 2011/2012 (31 por milhão de veículos), frente 1.698 (22 por milhão de veículos) nesta mais recente passagem de ano. No réveillon 2011/2012, foram 133 mortes (1,89 por milhão de veículos), ante 126 (1,65 por milhão de veículos) nesta última virada de ano.

Minas Gerais, Bahia e Paraná foram os Estados que apresentaram maior violência no trânsito neste réveillon, informa a PRF. Minas Gerais teve 418 acidentes, 243 feridos e 22 mortos entre 28 de dezembro de 2012 e 2 de janeiro de 2013. Na Bahia foram apurados 170 acidentes, 108 feridos e 22 mortes. No Paraná foram registrados 372 acidentes, 212 feridos e 12 mortes. São Paulo teve 212 acidentes, 69 feridos e 2 mortes.

De acordo com a PRF, as ultrapassagens mal sucedidas e o excesso de velocidade foram responsáveis pela metade das mortes nos acidentes atendidos. O cansaço foi responsável por 43% dos acidentes fatais que aconteceram nas viagens noturnas, ou seja, realizadas no período entre as 20 horas e as 6 horas da manhã.

Durante toda a operação "Fim de Ano", considerando o período entre 21 de dezembro de 2012 e 2 de janeiro de 2013 (ou seja, envolvendo Natal e Ano Novo), a PRF também apurou quedas de 18% no volume de acidentes e de 20% na quantidade de feridos, mas alta de 3% no número de mortes em relação a igual período do final de ano anterior. Durante todo este último período de festas de final de ano foram registrados 7.040 acidentes, 4.171 feridos e 392 mortes. Entre 21 de dezembro de 2011 e 2 de janeiro de 2012 foram 7.946 acidentes, 4.841 feridos e 353 mortes.

Desde que começou a vigorar a nova Lei Seca (publicada no Diário Oficial da União em 21 de dezembro de 2012) até a meia-noite de quarta-feira (02), a PRF aplicou 70.855 testes de embriaguez. Nesse período, um total de 1.716 motoristas embriagados foram retirados das estradas e autuados. Desse grupo, 723 motoristas foram presos em flagrante por crime de trânsito.

Saiba mais: Estradas federais têm aumento de 37% no número de mortes nas estradas

A PRF destaca que nos primeiros 11 meses de 2012 (quando o índice de recusa para assoprar o bafômetro era de 53%), 29% dos motoristas reprovados no bafômetro eram presos. Com a nova Lei Seca, que institui novos tipos de prova para a configuração de crime de trânsito, a quantidade de prisões subiu para 42% do total de motoristas reprovados. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, um motorista assoprou o bafômetro a cada 16 segundos, em media, nas rodovias federais neste último réveillon. A cada 11 minutos um motorista embriagado foi flagrado, multado e retirado de circulação e a cada hora, quatro motoristas foram presos pelo crime de embriaguez.

No período de 21 de dezembro de 2011 a 2 de janeiro de 2012, foram aplicados 25.214 testes do bafômetro, com a aplicação de 740 multas e a 322 multas com prisão. No período entre 21 de dezembro de 2012 e 2 de janeiro de 2013 (já sob as determinações da nova Lei Seca), foram aplicados 70.855 testes do bafômetro, aplicadas 1.716 multas e 723 multas com prisão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.