Quase 60% das operadoras de planos de saúde têm boa avaliação, diz ANS

Das 1.239 operadoras avaliadas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar em 2001, 735 tiveram bons resultados

Agência Brasil |

Agência Brasil

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou nesta quinta-feira (13) resultado do Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS), que avalia as condições e a qualidade da prestação de serviço das operadoras de planos de saúde médico-hospitalar e odontológico. Das 1.239 operadoras avaliadas em 2011, 735 tiveram bons resultados, equivalente a 59,3% do total. Em 2010, as operadoras com notas altas somavam 482 (31% de um total de 1.517).

Leia também: Governo decide suspender venda de 301 planos de saúde no País

O índice avalia a atenção à saúde, situação econômico-financeira e estrutura e operação. A pesquisa, feita anualmente desde 2008, passou a considerar também a satisfação do usuário, com base nas reclamações que chegam à agência reguladora. A nota vai de 0 (pior nota) a 1 (melhor nota).

No ano passado, foram avaliadas 913 operadoras médico-hospitalares e 326 odontológicas. Entre as médico-hospitalar, 62% obtiveram notas altas. Entre as odontológicas, 53% estão no grupo com melhor desempenho. Em 2010, os percentuais eram 32% e 29%, respectivamente As empresas com as piores notas (0 a 0,19) representaram 1% entre as médico-hospitalares, e 5% entre as odontológicas, conforme dados de 2011.

“As operadoras se qualificaram mais e atraíram mais beneficiários para elas. O retrato é de aperfeiçoamento do setor. Hoje, o consumidor tem ferramentas como a portabilidade, tem mais acesso à informação e procura operadoras mais qualificadas”, avaliou o presidente interino da ANS, André Longo.

Segundo a agência reguladora, nos últimos anos, o número de operadoras diminui no País. Um dos motivos é o fechamento de operadoras por baixa qualidade na prestação de serviços. Em 2011, cerca de 190 operadoras foram fechadas. Em contrapartida, o montante de usuários dos planos de saúde subiu de 58 milhões para 60 milhões, de 2010 para 2011.

Em 2011, as operadoras com melhor desempenho concentraram 76% dos clientes.“Estamos muito distantes de um mercado concentrado, mas temos que ponderar: precisamos garantir a qualidade sem que haja concentração no mercado”, disse Longo.

    Leia tudo sobre: plano de saúdeans

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG