Mortes entre crianças de até 10 anos caem 31% desde 2000, diz ministério

Principais causas de mortes acidentais de crianças correspondem aos riscos à respiração, seguidos pelos afogamentos e exposição à fumaça, ao fogo e às chamas

iG São Paulo |

O Ministério da Saúde divulgou nesta sexta-feira que registrou 595 mortes de crianças de até 10 anos de idade por acidentes domésticos em 2010. O número é 31% menor que os 868 óbitos de 2000. Segundo o governo, as principais causas de mortes foram os riscos acidentais à respiração (como sufocação na cama, asfixia com alimentos e outros), seguidos pelos afogamentos e exposição à fumaça, ao fogo e às chamas.

Leia também:  Menino de 4 anos morre afogado em piscina de escola em São Paulo

Segundo o ministério, os riscos acidentais à respiração foram responsáveis por 348 mortes de crianças com até 9 anos em 2000, o que corresponde a 40% dos óbitos por essa causa naquele ano. Já em 2010, o número reduziu para 252, representando 42% das mortes. Os afogamentos caíram de 247 para 168 no mesmo período. As mortes decorrentes de exposição à fumaça, ao fogo e às chamas recuaram de 102 para 64 nesses dez anos.

Dentro da faixa etária que vai de 0 a 9 anos, as principais vítimas são os menores de 1 ano. Em 2000, foram 376 mortes em crianças dessa faixa, contra 253 em 2010.

Além da queda no número de mortes, também houve redução nas internações. De acordo com o números divulgados, em 2010, foram 11,6 mil internações de crianças por acidentes domésticos, que custaram R$ 8,2 milhões. No ano seguinte, o número de hospitalizações caiu para 10,2 mil, ao custo de R$ 6,9 milhões. 


    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG