Polícia catarinense escoltará ônibus em regiões onde houve ataques

Desde a última segunda-feira, 17 ônibus e e oito automóveis foram incendiados em várias cidades de Santa Catarina

Agência Brasil | - Atualizada às

Agência Brasil

Policiais vão escoltar os ônibus que circulam em regiões catarinenses onde ocorreram ataques violentos nos últimos dias. De acordo com informações do governo de Santa Catarina, a decisão foi tomada nesta quinta (15) durante reunião entre o governador Raimundo Colombo e empresários do transporte público.

Suspeitas: Ordem de ataques em Santa Catarina saiu de presídios, dizem autoridades

No encontro, Colombo reforçou que o gabinete de crise está funcionando de forma permanente na Casa da Agronômica, em Florianópolis. Ao todo, três delegados, dois escrivães e seis agentes trabalham nas investigações.

Desde a última segunda-feira (12), 58 pessoas foram detidas em todo o Estado. Destas, 30 permanecem presas. Até o momento, foram incendiados 17 ônibus e oito automóveis – entre eles, viaturas policiais. Três bases da Polícia Militar também foram atacadas.

Repercussão: Diretor de penitenciária pede afastamento em Santa Catarina

Segundo o Comando Geral da Polícia Militar de Santa Catarina, os ataques são coordenados por grupos que agem dentro e fora dos presídios. Há também pessoas que se aproveitam da situação para cometer atos de vandalismo.

“Os dirigentes também acreditam em uma correlação [da onda de violência] com as ações da polícia contra o tráfico de drogas e as medidas tomadas nos presídios, como a redução de regalias e o aumento de ações de ressocialização [dos presos]”, informou o governo estadual.

Ajuda federal

O governador Raimundo Colombo também disse nesta quinta-feira que está em contato com o Ministério da Justiça e com os serviços de inteligência do governo federal para ajudar no combate à onda de violência que se iniciou no Estado. "Acho que nesta hora você tem que somar todas as forças, não há por que fazer qualquer tipo de análise política. Estamos buscando todo o sistema de informação, estou em contato com o Ministério da Justiça, com os órgãos de inteligência do governo federal, estamos trabalhando juntos. Se houver um recrudescimento, se houver necessidade, nós vamos buscar apoio", afirmou o governador em entrevista ao Jornal do Almoço, da RBS TV de Santa Catarina.

Dois novos ataques a ônibus foram registrados nesta quinta-feira. O primeiro foi pela manhã, em Itajaí, e outro, à tarde, em Itapema. Durante a última madrugada foram pelo menos 12 ataques.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG